Torcida apoia seleção brasileira na chegada a São Paulo

Com meia hora de atraso devido ao mau tempo no Aeroporto Internacional de Cumbica, o restante da delegação da Seleção Brasileira, eliminada pela Holanda na Copa do Mundo da África do Sul, chegou às 4h45 (de Brasília) deste domingo em Guarulhos. Depois de nove integrantes do grupo descerem na escala realizada no Rio de Janeiro, …

04/07/2010 10:07



Com meia hora de atraso devido ao mau tempo no Aeroporto Internacional de Cumbica, o restante da delegação da Seleção Brasileira, eliminada pela Holanda na Copa do Mundo da África do Sul, chegou às 4h45 (de Brasília) deste domingo em Guarulhos. Depois de nove integrantes do grupo descerem na escala realizada no Rio de Janeiro, os demais eram esperados por um grande número de torcedores, que se decepcionaram com uma saída estratégica pelos fundos após longa espera.

Muitos torcedores fizeram vigília durante a madrugada e aguardavam no saguão do aeroporto para recepcionar os atletas. Além do técnico Dunga, que embarca para Porto Alegre ainda neste domingo, desceram em solo paulista o goleiro Doni, o lateral Daniel Alves, os zagueiros Lúcio e Luisão, o volante Josué, os meias Elano, Kaká e Júlio Baptista, os atacantes Nilmar, Robinho e Luís Fabiano, além do observador Taffarel.

O tumulto registrado na chegada ao Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro, se repetiu em São Paulo horas mais tarde. Cerca de 300 curiosos aguardavam para ver os ídolos de perto na porta da sala de desembarque, alguns com faixas e bandeiras, sempre levando mensagens de apoio ao grupo e sem registros de protestos pela eliminação contra a Holanda.

Com o número de fãs acima do esperado, a polícia surgiu na tentativa de isolar a área. Membros da Infraero informaram que ocorreu uma “confusão maior do que imaginavam” e também não souberam dizer por onde a delegação saiu.

Assim que saíram da aeronave, os atletas passaram pela imigração sem pegar filas e, todos juntos, seguiram para a alfândega, também sem a necessidade de espera, local onde ficaram cerca de dez minutos.

Depois, a delegação se dividiu em dois grupos – no primeiro estavam Kaká, Júlio Baptista, Robinho, Nilmar e Luís Fabiano. Cinco minutos depois, surgiram Josué, Daniel Alves, Luisão e Lúcio.

Enquanto esperavam pela liberação das bagagens, isolados do restante dos passageiros, eles atenderam alguns pedidos de autógrafos e fotos de outras pessoas que desembarcavam em Guarulhos.

Já o técnico Dunga, do outro lado, foi bastante atenciosos com os fãs, demonstrando estar bastante à vontade em meio à multidão.

Antes de chegar a São Paulo, o goleiro Júlio César, os zagueiros Thiago Silva e Juan, os laterais Gilberto e Michel Bastos, os volantes Kléberson e Felipe Melo, o auxiliar-técnico Jorginho e o supervisor Américo Faria, fizeram ponte no Rio de Janeiro e desceram no Aeroporto Internacional Tom Jobim.

Em solo carioca, grande parte dos atletas, principalmente Júlio César e Juan, naturais do Rio, foram recebidos com aplausos. A excessão foi Felipe Melo. Apontado por muitos como vilão da eliminação brasileira, o volante evitou a imprensa, mas acabou hostilizado por alguns fãs.

Como está em visita a Cabo Verde, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva designou Orlando Silva para receber a Seleção no retorno ao Brasil. De acordo com informações da Confederação Brasileira de Futebol, a presença do ministro dos Esportes estava prevista antes do tumulto que foi criado no aeroporto paulista.