Banco do Brasil atua no Centro-Oeste

O Banco do Brasil dispõe de R$ 4 bilhões para financiar a produção do Centro-Oeste neste ano, o que equivale a expansão de 27% sobre os recursos aplicados pelo Fundo Constitucional de Investimentos para a região (FCO) no ano passado, informou o diretor de Governo do BB, Sérgio Nazaré. Ele disse que o diferencial do …

06/07/2010 10:13



O Banco do Brasil dispõe de R$ 4 bilhões para financiar a produção do Centro-Oeste neste ano, o que equivale a expansão de 27% sobre os recursos aplicados pelo Fundo Constitucional de Investimentos para a região (FCO) no ano passado, informou o diretor de Governo do BB, Sérgio Nazaré.

Ele disse que o diferencial do FCO está nas taxas de juros e prazos, uma vez que dispõe de prazos de contratação de até 20 anos, com juros anuais que variam de 5% a 8,5% no FCO Rural, e de 6,75% a 10% no FCO Empresarial; e para quem paga em dia, as taxas ainda podem ser reduzidas em 15%.

O diretor adiantou que o BB trabalha para reduzir o prazo de contratação e simplificar o acesso ao crédito com recursos do FCO. Por isso, mesmo empresas com sede fora da região podem buscar as linhas de financiamento, desde que desenvolvam projetos nos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás, além do Distrito Federal.

Depois da reunião ordinária em que o Conselho Deliberativo do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (Condel/FCO) aprovou o relatório de gestão do fundo em 2009, Nazaré ressaltou que o BB, como agente financeiro e administrador do FCO, está empenhado em contribuir para o desenvolvimento econômico e social da região, via financiamento aos setores produtivos.

O diretor do Departamento de Promoção de Investimentos do Ministério da Integração Nacional, Frederico Valente, também participou da reunião do Condel/FCO, realizada no BB. Ele ressaltou que a Região Centro-Oeste é grande produtora de alimentos e está em pleno crescimento industrial. Em vista disso, “as demandas deste ano por recursos já são superiores ao ano passado, que foi um ano de retração”.

De acordo com números do BB, dos R$ 3,3 bilhões disponibilizados pelo FCO em 2009, 98% foram emprestados – o melhor aproveitamento já registrado pelo fundo. Mais de metade dos recursos foram destinados a tomadores de pequeno porte, e o Condel/FCO estima que tenham sido gerados ou mantidos mais de 398 mil empregos na região, entre diretos e indiretos.