Espanha virá para Copa do Brasil entre favoritas

Com o título inédito conquistado na África do Sul, a Espanha abandonou o tabu de que “amarelava” nos momentos decisivos e chegará ao Brasil em 2014 como uma das favoritas ao título da Copa do Mundo. Um dos fatores que contribuem para essa dedução é a baixa média de idade da vitoriosa atual geração de …

12/07/2010 13:02



Com o título inédito conquistado na África do Sul, a Espanha abandonou o tabu de que “amarelava” nos momentos decisivos e chegará ao Brasil em 2014 como uma das favoritas ao título da Copa do Mundo.

Um dos fatores que contribuem para essa dedução é a baixa média de idade da vitoriosa atual geração de jogadores, que já conquistou a Eurocopa em 2008 e o Mundial em 2010.

Os principais jogadores responsáveis pelo estilo de jogo cadenciado e bem-sucedido da Espanha devem estar em campo na próxima Copa do Mundo. Entre as ausências certas, o mais conhecido é o zagueiro Puyol, que terá 36 anos na ocasião e dificilmente estará na seleção.

Porém, Piqué, seu companheiro de zaga, terá apenas 27 anos em 2014 e deve permanecer como titular absoluto da equipe. O lateral-direito Sérgio Ramos é outro que deve continuar como dono da posição na Fúria. O jogador do Real Madrid está atualmente com 24 anos e terá 28 no próximo Mundial.

Dos atacantes, Torres e Pedro ainda estarão em plena forma em 2014. O primeiro, que não teve um bom desempenho na África do Sul, terá 30 anos, enquanto o segundo deve estar no auge daqui quatro anos, com 27. David Villa, que ficou entre os artilheiros da Copa, terá 32 e pode ceder lugar a outro atleta.

O setor mais forte da Espanha é o meio de campo e é justamente o que deve sofrer menos alterações para 2014. Iniesta, autor do gol do título, terá 30 anos. Fábregas, que tem tudo para se tornar titular até lá, terá apenas 27. O mais novo é Sergio Busquets, que contará com 26 anos na ocasião, enquanto o volante Xabi Alonso terá 32 e Xavi será o mais velho, com 34.

Com os jogadores mais experientes e com mais quatro anos atuando juntos e treinando, a Espanha deve desembarcar no Brasil ainda mais forte do que se mostrou na Copa do Mundo da África do Sul. É esperar para ver.