Intervenções iniciais

A Agecopa anunciou para o mês que vem o início das obras de desbloqueio para a mobilidade urbana de Cuiabá visando a Copa de 2014. São 20 intervenções – sete delas já licitadas – que criarão alternativas e desvios para o trânsito da cidade até o ano que vem. Orçadas em R$ 142 milhões, essas …

15/07/2010 10:46



A Agecopa anunciou para o mês que vem o início das obras de desbloqueio para a mobilidade urbana de Cuiabá visando a Copa de 2014. São 20 intervenções – sete delas já licitadas – que criarão alternativas e desvios para o trânsito da cidade até o ano que vem. Orçadas em R$ 142 milhões, essas intervenções foram assunto ontem numa prestação de contas referente à recente viagem dos diretores da Agecopa pela África do Sul, quando também foi mencionada a necessidade de incrementar em cerca de 60% o efetivo policial no Estado (ver box).

As obras de desbloqueio consistem em intervenções imediatas para garantir que o trânsito da cidade não entre em colapso a partir de 2011, para quando está previsto o início das principais e maiores obras de mobilidade urbana para 2014, como o sistema de Bus Rapid Transit (BRT, corredores exclusivos para ônibus), viadutos, trincheiras, pontes e alargamentos.

Um dos principais transtornos a serem driblados será a interdição de pontos das avenidas Fernando Corrêa, Historiador Rubens de Mendonça (do CPA), Prainha, XV de Novembro e da FEB. Além de serem as principais artérias para o trânsito de Cuiabá e Várzea Grande, são elas que receberão os corredores exclusivos do sistema BRT – um deles interligando a região do CPA até o aeroporto Marechal Rondon e outro ligando o Centro à região do Coxipó.

Boa parte das obras de desbloqueio foi projetada para que a cidade se prepare para as obras do BRT. Exemplo: a rua Desembargador Trigo de Loureiro, no bairro Consil, que atualmente se limita num barranco ao lado do Cuiabá Lar Center, passará como um túnel por baixo da avenida Miguel Sutil (que, neste local, é elevada), proporcionando interligação com o Araés, facilitando o acesso à avenida Mato Grosso sem que seja necessário tomar a avenida do CPA.

Intervenção parecida será feita na rua General Ramiro Noronha. Segundo o coordenador de mobilidade da Agecopa, Rafael Detoni, a rua passará por baixo da avenida Miguel Sutil para interligar os bairros Jardim Cuiabá e Santa Rosa enquanto estiver sendo construída a trincheira (passagem subterrânea) sob a rotatória da avenida mais à frente, na entrada do bairro Santa Rosa.

Outras obras de desbloqueio já licitadas consistem em pavimentação (trechos essenciais para o fluxo na área urbana que ainda não receberam asfalto), pontes sobre o rio Coxipó (por conta da execução do BRT, que interditará pontos da avenida Fernando Corrêa) e duplicação, como no caso da Estrada da Guarita (esta, aliás, já era necessária antes de se falar em 2014).

Pronto para sair do papel e com recursos garantidos, Detoni afirma que o projeto de mobilidade tem todas as condições de ser implementado integralmente, tanto as obras de desbloqueio quanto as 31 anunciadas como as principais mudanças que o trânsito de Cuiabá experimentará graças à vinda da Copa do Mundo.