Cartão de crédito já cobra mais de 230% de juros ao ano em média

Os juros subiram pela quinta vez este ano, de acordo com pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). Para pessoa física, das seis linhas pesquisadas, a única que não registrou aumento foi o cartão de crédito rotativo (que já é a mais elevada do mercado). A taxa de juros média …

16/07/2010 09:54



Os juros subiram pela quinta vez este ano, de acordo com pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). Para pessoa física, das seis linhas pesquisadas, a única que não registrou aumento foi o cartão de crédito rotativo (que já é a mais elevada do mercado). A taxa de juros média geral foi elevada em 0,04 ponto percentual, de 6,86% em maio para 6,90% em junho.

Para pessoa jurídica, todas as linhas de crédito subiram de uma média de 3,67% ao mês em maio para 3,72% em junho. Mas o coordenador da pesquisa, Miguel Ribeiro de Oliveira, acredita que as condições de crédito (ampliação dos prazos, aumento do volume emprestado, maior flexibilidade) vão melhorar.

“Daqui para frente, devemos ter reduções das taxas para pessoa física e jurídica em patamares superiores às quedas da Selic. Devemos, inclusive, ter períodos em que a Selic vai ficar inalterada e as taxas de juros serão reduzidas”, prevê o economista, de acordo com sua assessoria.

Ele atribui esse otimismo à competição no sistema financeiro; melhora do ambiente econômico com menor risco de inadimplência; adoção do cadastro positivo; e a maior pressão do governo para a redução do spread bancário (a diferença entre o que os bancos pagam pelo dinheiro e quanto cobram para emprestar).

A taxa média de juro mais extorsiva segue sendo a do cartão de crédito, acima de 10% ao mês ou 238% ao ano, A seguir, vêm os empréstimos de financeiras, com média de 9,98% ou 213% anuais.