Viola-de-cocho é pauta no Programa Ação

O Programa Ação, da rede Globo, está fazendo uma série de reportagens sobre as manifestações e costumes, que são considerados patrimônio imaterial em todo o território brasileiro. No último programa, que foi ao ar no sábado (16.07), o apresentador Serginho Groisman abordou o modo de fabricação da viola-de-cocho. Confira a matéria na íntegra que foi …

20/07/2010 15:28



O Programa Ação, da rede Globo, está fazendo uma série de reportagens sobre as manifestações e costumes, que são considerados patrimônio imaterial em todo o território brasileiro. No último programa, que foi ao ar no sábado (16.07), o apresentador Serginho Groisman abordou o modo de fabricação da viola-de-cocho.

Confira a matéria na íntegra que foi ao ar no Programa Ação abaixo:

Veja o jeito artesanal de se fazer a viola de cocho no Mato Grosso

Algumas manifestações recebem o título de Patrimônio Imaterial mesmo sendo pouco conhecidas nacionalmente. É o caso da viola de cocho – instrumento tradicional de Mato Grosso. A importância regional é tão grande que justifica o título.

A dança é o cururu e o instrumento, a viola de cocho, que o músico Caetano Ribeiro dos Santos conhece melhor do que ninguém. Ele é considerado mestre da cultura popular. “Desde 15 anos eu canto cururu e toco a viola de cocho e faço minha própria viola”, diz.

Para acompanhar as danças típicas, a viola de cocho é feita de maneira artesanal. E foi essa forma única de criar e confeccionar o instrumento, que ganhou o título de patrimônio imaterial do Brasil. O trabalho mais difícil é o de talhar a madeira.

Jovens querem seguir a tradição. Sabem que é importante preservar a cultura regional. “Eu vi na escola os alunos tocando e aí me interessei a tocar”, conta Rogério Miranda Gomes Jr, 15 anos.

Alcides Ribeiro dos Santos, filho de seu Caetano, é a quarta geração da família que trabalha na produção da viola de cocho. “Hoje a gente já está vendendo ela e vários músicos tocam MPB, erudita na viola de cocho. Produzo de 30 a 50 violas por mês, vendo dentro do estado, mas principalmente para os músicos de fora que estão levando pra tocar outros tipos de música”, fala Alcides.

Uma viola de cocho custa de R$ 158 dependendo do tamanho.

No viveiro, mudas de sarã de leite, ximbuva, siriguela, cajá-manga, são algumas das árvores usadas para fazer a viola de cocho.

“O viveiro surgiu através de uma parceria entre o Instituto Ecossistemas Populações Tradicionais e o Pontão de Cultura da Viola de Cocho. Por que isso? As pessoas pra construírem a viola de cocho elas têm que derrubar árvore, então a gente teve a ideia de fazer o plantio pra incentivar as pessoas que fazem a viola de cocho a plantarem também a árvore. Ou seja, para cada viola de cocho produzida, plantar no mínimo três árvores”, explica a geógrafa Enir Maria Silva.

Em Cuiabá, já foram plantadas mais de quatro mil mudas e o projeto também existe em outras 14 cidades mato-grossenses que fabricam a viola de cocho.

“Na década de 70, nós tivemos um fluxo migratório muito grande no estado de Mato Grosso e a população tradicional começou a ser colocada como um jeito de falar, eles começaram a sentir vergonha da sua cultura, dos seus costumes. Então, esse trabalho vem exatamente mostrar que é uma cultura genuína, é um instrumento que foi criado nas margens do rio Cuiabá e que deve ser valorizado. Então, nós estamos com um trabalho de estimular que as famílias passem esse conhecimento pros seus filhos porque a maioria dos mestres que fabricam a viola, eles possuem muito mais do que 60 anos, 60, 70, então nós precisamos de jovens fabricando, tocando, dançando através desse instrumento musical”, diz Ana Cristina Moreira dos Santos, jornalista e geógrafa.

O vídeo está no link: http://g1.globo.com/acao/noticia/2010/07/veja-o-jeito-artesanal-de-se-fazer-viola-de-cocho-no-mato-grosso.html