Economia do Brasil deve crescer menos em 2011

A previsão para o desenvolvimento da economia brasileira em 2011 é forte, mas menor do que o esperado para este ano, segundo a Cepal (Comissão Econômica para América Latina e o Caribe), órgão ligado à ONU (Organização das Nações Unidas). O país deve avançar 4,5% em sua geração de riquezas no ano que vem, após …

22/07/2010 09:19



A previsão para o desenvolvimento da economia brasileira em 2011 é forte, mas menor do que o esperado para este ano, segundo a Cepal (Comissão Econômica para América Latina e o Caribe), órgão ligado à ONU (Organização das Nações Unidas). O país deve avançar 4,5% em sua geração de riquezas no ano que vem, após crescer 7,6% em 2010.

Segundo a previsão da entidade, divulgada na quarta-feira (21), as principais economias da região devem sentir os efeitos das crises que ainda se mantêm nos Estados Unidos e na Europa. A Cepal diz que muitos países que vêm crescendo forte neste ano devem diminuir a velocidade em 2011.

– Depois de uma recuperação rápida que permitiu crescer a altas taxas em 2010, o futuro planta diversas dúvidas devido ao menor crescimento da economia norte-americana, incertezas em algumas economias europeias e maior volatilidade nos mercados internacionais.

O Chile deve despontar no desenvolvimento do PIB (Produto Interno Bruto, soma das riquezas produzidas no país) no próximo ano, crescendo 6%. A Nicarágua pode crescer em torno de 5%, seguida por Brasil, Peru e Argentina (todos com 4,5%), Bolívia e Uruguai (4%), Colômbia, Costa Rica, Cuba, Guatemala, México e Paraguai (3% cada um).

A grande expectativa é sobre o Haiti, que foi devastado neste ano por um terremoto e até 2011 deve ter conseguido retomar a produção. Neste ano, o país deve amargar uma recessão com queda de 8,5% no PIB, mas pode crescer 7% em 2011.