Faltam armazéns para guardar milho safrinha no MT

Principal produtor de milho safrinha, Mato Grosso já colheu 80% dos 2 milhões de hectares cultivados, informa o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea). A colheita está 35,5% adiantada em relação a igual período do ano passado, quando 44,5% da área havia sido colhida. Como o plantio e a colheita da soja foram antecipados em …

22/07/2010 10:18



Principal produtor de milho safrinha, Mato Grosso já colheu 80% dos 2 milhões de hectares cultivados, informa o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea). A colheita está 35,5% adiantada em relação a igual período do ano passado, quando 44,5% da área havia sido colhida. Como o plantio e a colheita da soja foram antecipados em Mato Grosso na safra 2009/2010, o calendário do milho, cultivado em sucessão, também foi alterado.

Os produtores já enfrentam dificuldades com a falta de espaço para armazenar o milho, problema que no ano passado só se acentuou a partir de agosto.

Em Lucas do Rio Verde, com 94% da safra já colhida, grande parte dos armazéns ainda guarda milho do ano passado, diz o presidente do Sindicato Rural, Júlio Cinpak. “A solução seria o governo aumentar o volume ofertado de prêmios para escoamento de milho, a fim de evitar os deságios nos leilões”, diz. “Para a nossa região são ofertadas apenas 120 mil toneladas por leilão. Como o limite é de mil toneladas por produtor, cada leilão atende só 120 produtores.” Cinpak defende a manutenção do limite por produtor, mas com um volume maior.