CBF confirma convite a Mano Menezes

Com Muricy Ramalho fora do baralho para assumir como novo técnico da seleção brasileira, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou na noite de ontem, em nota no seu site oficial, o convite feito a Mano Menezes. O técnico do Corinthians deve anunciar a decisão após o treino de hoje, marcado para começar às 8h30 …

24/07/2010 08:19



Com Muricy Ramalho fora do baralho para assumir como novo técnico da seleção brasileira, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou na noite de ontem, em nota no seu site oficial, o convite feito a Mano Menezes. O técnico do Corinthians deve anunciar a decisão após o treino de hoje, marcado para começar às 8h30 (Mato Grosso).

O comunicado da CBF veio horas depois da negativa de Muricy. Mesmo depois de apalavrado com o presidente Ricardo Teixeira, o técnico foi impedido de assumir pelo Fluminense, que fez valer a força do contrato com o clube. O contrato dele com o clube vai até o final do ano.

Teixeira explicou que ainda trabalhava com outros dois nomes no plano de renovar a seleção brasileira após a eliminação nas quartas de final da Copa do Mundo. O presidente lembrou ainda que o novo técnico deve começar essa renovação já para o amistoso de 10 de agosto, contra os Estados Unidos, em Nova York.

“Conversei com muitas pessoas, assisti a debates em vários programas esportivos e ouvi também torcedores para chegar a três nomes. O que determinou a escolha foi o entendimento de que é necessária uma imediata renovação na Seleção Brasileira”, disse.

A dúvida agora é se Mano irá aceitar o convite, já que inicialmente foi preterido. Em conversa por telefone, Teixeira garantiu apoio irrestrito para exercer sua tarefa.

“O mais importante na escolha é o senso comum da importância da filosofia de renovação que será posta em prática. Tenho a absoluta confiança de que esse trabalho será feito com sucesso nessa trajetória que terminará em 2014”, concluiu.

CHATEADO – Ontem, ao saber que tinha sido preterido por Muricy Ramalho, Mano Menezes não conseguiu esconder a tristeza. Nos 58 minutos que esteve no campo do Parque São Jorge, por muitas vezes apareceu sozinho, com braços para trás, semblante sério e olhar perdido. Um aperto de mãos e abraço tímido de Ronaldo deram a letra de um comandante magoado.

Acostumado a gritar e gesticular bastante com o time, Mano preferiu o isolamento. Apesar de ainda haver a esperança de ser chamado por causa da recusa do Fluminense em liberar Muricy Ramalho, ele preferiu mudar o foco para o “só penso no Corinthians”. “Não durmo e não acordo pensando em seleção. Penso no clube, em fazer bem o meu trabalho aqui. Agora tenho de armar bem a equipe para encarar o Guarani”, afirmou, visivelmente abalado.

A saída parecia passar uma borracha no assunto seleção. Algo difícil numa entrevista com 20 minutos quase todos falando da equipe nacional. “É desgastante desmentir o que não existe. Vinha convivendo com comentários de que não falei, mas existe (o convite da CBF). Ainda bem que uns ainda falam a verdade no futebol”, observou. “O meu batimento (cardíaco) não aumentou hoje (ontem) e em nenhum outro dia, pois vivo situações claras”, disse, se esforçando para mostrar que não vivia a expectativa de um convite. Na véspera do anúncio do substituto de Dunga, contudo, Mano mostrava alegria, não escondia o sorriso e parecia confiante para uma “convocação” de Ricardo Teixeira.

Mano só soube da recusa do Fluminense em liberar Muricy após o treino. Por 10 minutos, conversou com a assessoria de imprensa do clube para definir se encararia, ou não, o grande número de repórteres à sua espera. Problema na voz, após muitos gritos em Goiânia, seria uma saída para não ter de falar do assunto. Ele optou por falar.

Acostumado a rir e a fazer repórteres rirem com respostas descontraídas, o máximo que o treinador conseguiu ontem foi arrancar alguns sussurros com uma cara de espanto do tipo: “Nossa, quanta gente”. Mano falou muito de seleção, mas novamente preferiu não se candidatar para uma eventual ‘troca’, se fosse convidado.