Silval quer tirar vídeos de Wilson Santos do Youtube

A coligação do governador e candidato à reeleição, Silval Barbosa (PMDB), entrou com uma representação contra Wilson Santos (PSDB), candidato ao governo, por propaganda irregular na internet. A assessoria jurídica de Silval reclama que sites têm reproduzido vídeos de Wilson, transgredindo a legislação eleitoral. Os vídeos têm sido reproduzidos devido à irreverência. Em um, “Wilson” …

29/07/2010 07:53



A coligação do governador e candidato à reeleição, Silval Barbosa (PMDB), entrou com uma representação contra Wilson Santos (PSDB), candidato ao governo, por propaganda irregular na internet. A assessoria jurídica de Silval reclama que sites têm reproduzido vídeos de Wilson, transgredindo a legislação eleitoral.

Os vídeos têm sido reproduzidos devido à irreverência. Em um, “Wilson” (na verdade um garoto com o rosto de Wilson Colado na cabeça) aparece dançando street dance. Numa série intitulada “Caça mitos”, Wilson aparece com bigode e óculos, no estilo Sherlock Holmes.

A representação também é em desfavor do Youtube e de um site da capital, além da coligação “Jonas Pinheiro”. Segundo a representação, estes vídeos contendo propagandas consistem na exposição da figura de Wilson, objetivando massificar ostensivamente o nome do candidato através de um veículo de comunicação.

Diz trecho da representação: “como se vê tais práticas desequilibram de forma desleal o pleito eleitoral, disseminando de forma maquiada a propaganda proibida, visando exclusivamente à captação de voto, principalmente daqueles eleitores mais jovens, causando instabilidade no processo eleitoral”.

O vídeo “caça mitos” é feito com estudantes e de uma diretora da Escola Municipal Maria Dimpina, segundo a representação. De acordo com o documento, a “reunião”, foi realizada no Palácio Alencastro para tratar de assuntos de interesses da escola, mas na verdade trata-se de propaganda eleitoral.

Para o assessor jurídico da coligação de Silval, o advogado Francisco Faiad, esse vídeo foi realizado em total desacordo com a legislação eleitoral porque foi realizado em um bem público; veiculada através da internet em site privado; e porque não possui os requisitos exigidos TSE, que determina o nome da coligação e legendas dos partidos que a compõem.

A representação também contesta outros dois vídeos. Faid pede que os vídeos sejam imediatamente retirados do site regional e do youtube e aplicação de multa por propaganda irregular.

A coordenação de mídias sociais de Wilson tem produzidos esses vídeos exclusivamente para a internet para atingir o público jovem, e têm feito sucesso. Wilson até recebeu uma carta do Youtube, com uma proposta de parceria em que o tucano receberia por cada exibição do vídeo b-boy (Wilson dançarino). Em contrapartida, o site colocaria propaganda na página dele. O ex-prefeito de Cuiabá, porém, não aceitou a oferta, pois não tem o objetivo de ganhar dinheiro com os vídeos.