União Europeia aprova duas variedades de milho transgênico da Monsanto

A decisão da UE ocorre em um momento de consolidação da biotecnologia nos Estados Unidos e também em outros países produtores de grãos, como o Brasil, devido ao reconhecimento dos benefícios gerados, como mais rentabilidade, redução de custos e a utilização de menos recursos naturais. “Estamos animados com a decisão da União Europeia de seguir …

29/07/2010 17:07



A decisão da UE ocorre em um momento de consolidação da biotecnologia nos Estados Unidos e também em outros países produtores de grãos, como o Brasil, devido ao reconhecimento dos benefícios gerados, como mais rentabilidade, redução de custos e a utilização de menos recursos naturais.

“Estamos animados com a decisão da União Europeia de seguir a recomendação científica independente da Autoridade Europeia de Segurança Alimentar [EFSA]”, afirmou Jerry Hjelle, líder global de Regulamentação da Monsanto. “Os produtores adotam essas e outras tecnologias com o objetivo de melhorar a produtividade de suas lavouras de forma sustentável, usando um volume menor de pesticidas. Além disso, essas autorizações permitem o embarque de grãos derivados desses produtos para uso na elaboração de rações.”

O milho YieldGard VT Triple é bastante popular entre os agricultores norte-americanos e controla um grande espectro de insetos terrestres e aéreos. Estima-se que essa tecnologia esteja presente em 30% das lavouras plantadas com a cultura nos Estados Unidos neste ano.

Já o milho Genuity VT Double PRO, que também protege a planta contra pragas, acaba de ser introduzido nos EUA e está em fase de testes na Argentina, no Brasil, no México, na África do Sul, nas Filipinas, na Indonésia e no Vietnã.

“A decisão da União Europeia é um avanço em relação à aprovação de mais produtos de biotecnologia. O milho MON 89034 x NK 603 encontra-se em avaliação no Brasil. Esse milho combina duas proteínas para proteção contra o ataque das principais pragas do milho e a tolerância ao glifosato. O milho MON 89034 x NK603 possibilita ao agricultor produzir mais, reduzir a utilização de inseticidas, cultivando o milho de maneira mais sustentável”, afirma Geraldo Berger, diretor de Regulamentação da Monsanto do Brasil.

Sobre a Monsanto

A Monsanto é uma empresa dedicada à agricultura. Pioneira no desenvolvimento de produtos com tecnologia de ponta na área agrícola – herbicidas, sementes convencionais e geneticamente modificadas –, a Monsanto busca soluções sustentáveis que proporcionem aos agricultores produzir mais com menos recursos. Para isso, investe anualmente mais de US$ 1 bilhão em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos, e compartilha seu conhecimento com produtores para ampliar o seu acesso a modernas tecnologias agrícolas, especialmente em países pobres e em desenvolvimento.

A Monsanto está presente no Brasil desde 1963. Em 2009, destinou R$ 9,4 milhões a projetos socioambientais em todo o país, realizados em 90 cidades, de 12 estados brasileiros. No total, mais de 700 mil pessoas foram beneficiadas. No campo da sustentabilidade, os projetos da Monsanto promoveram a realização de 250 palestras sobre conscientização ambiental, a distribuição gratuita de 30 mil livros e o plantio de 3 mil árvores, envolvendo a participação de 47 mil crianças.

A Monsanto faturou mais de R$ 3,2 bilhões no Brasil em 2009, produzindo e comercializando a linha de herbicidas Roundup, sementes de soja convencional (Monsoy) e geneticamente modificada (Roundup Ready®), sementes convencionais e geneticamente modificadas de milho (Agroeste, Sementes Agroceres e Dekalb), sementes de sorgo, algodão (Deltapine) e, ainda, sementes de hortaliças (Seminis e De Ruiter). Em novembro de 2008, passou a atuar no mercado de cana-de-açúcar, com a aquisição das empresas Canavialis e Alellyx, do Grupo Votorantim. Em fevereiro de 2009, a Monsanto adquiriu os 49% restantes da MDM, reforçando sua posição no mercado de algodão.