Democratas não prestigiam festa de Wilson Santos

Com a ausência dos principais líderes do Democratas, o candidato a governador pela coligação “Senador Jonas Pinheiro” (PSDB-DEM-PTB), Wilson Santos (PSDB), lançou seu comitê eleitoral na noite de sexta-feira (30). O episódio, por si só, já demonstra que os arqui-rivais do passado, PSDB e DEM (ex-PFL), ainda não fizeram “as pazes”, como se propagou, no …

31/07/2010 07:56



Com a ausência dos principais líderes do Democratas, o candidato a governador pela coligação “Senador Jonas Pinheiro” (PSDB-DEM-PTB), Wilson Santos (PSDB), lançou seu comitê eleitoral na noite de sexta-feira (30).

O episódio, por si só, já demonstra que os arqui-rivais do passado, PSDB e DEM (ex-PFL), ainda não fizeram “as pazes”, como se propagou, no começo do processo de composição.

O comitê eleitoral fica na Avenida das Torres, esquina com a Avenida Dante de Oliveira (dos Trabalhadores), em Cuiabá. O candidato pretende colocar a campanha na rua até o dia 16 de agosto, prevendo que fará uma campanha de 45 dias, divididas em três etapas e frente de atuação. Wilson também apresentou o coordenador da campanha em Cuiabá, o vereador Paulo Borges (PSDB).

Entre as ausências do DEM, destaca-se a do próprio candidato a vice-governador, o deputado estadual Dilceu Dal’Bosco (DEM). Também não compareceram o presidente regional do partido, Oscar Soares, o principal líder da legenda, o senador Jaime Campos, e  bancada de deputados na Assembleia Legislativa, formada pelos deputados Gilmar Fabris, Chica Nunes e Domingos Fraga.

O único nome de importância dos “demos” presente no evento era o ex-governador Júlio Campos, candidato a deputado federal. Júlio vem de uma derrota em 2008, quando disputou a prefeitura de Várzea Grande, em uma coligação desastrosa com o PP, tento a esposa do deputado Maksuês Leite (PP), Mara Leite como candidata a vice-prefeita.

Do lado dos tucanos, Wilson Santos também não foi prestigiado por figuras expressivas, como o ex-prefeito de Sinop, Nilson Leitão, a deputada federal Thelma de Oliveira e do ex-governador Rogério Salles. Pelo PTB, o prefeito de Cuiabá, Chico Galindo, também não deu as caras no evento.

Mesmo assim, em seu discurso, Wilson ressaltou a união da aliança, apontando que a junção dos partidos é “fruto da maturidade”, citando nomes de algumas lideranças. “Essas três forças políticas resolveram se unir e apresentar um projeto novo para Mato Grosso (…) A novidade está num desafio muito difícil de ser vencido, o desafio de distribuir renda no Estado”, declarou.

“Estado injusto”

O candidato não poupou críticas à gestão Blairo Maggi (PR), afirmando que o Estado não consegui equacionar o crescimento econômico com o desenvolvimento social. “Mais de 20% da população são de analfabetos, somos líderes nacionais em hanseníase, morremos de malária, leishmaniose, febre amarela, dengue (…) Um Estado rico, economicamente, mas injusto. O desafio é manter o ritmo da velocidade do desenvolvimento econômico, mas com distribuição de renda”, afirmou.

Material de campanha

Wilson Santos informou que já produziu uma edição de um jornal de campanha, que terá periodicidade quinzenal. Ele ainda informou que já está na linha de produção “santinho” dele com todos os candidatos a deputado estadual e federal, onde foi dado uma cota para cada participante do pleito.

Mídias sociais

O candidato avaliou que o trabalho de “mídias sociais” já vem apresentando um resultado produtivo, lembrando que seu adversário, o candidato e governador Silval Barbosa (PMDB), entrou na Justiça para impedir um vídeo de sua campanha. “Está dando um barulho danado. Está dando aquilo que a gente previa mesmo e novos vídeos serão lançados”, disse.

Cronograma

Ele informou que do dia 2 até o dia 16 de agosto, sua coligação irá acertar detalhes de coordenações e distribuições do material de campanha ao interior. A pretensão é de colocar o bloco na rua, de forma gradual, até o dia 16. Quando ao comitê político, Wilson destacou o espaço e posição estratégica.