WS diz que está no páreo e não desiste da disputa

Com um início de campanha tumultuado, marcado por indefinições judiciais, o candidato a governador Wilson Santos (PSDB) afirmou que aguarda o julgamento do registro da candidatura pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), cujo prazo final é até o próximo dia 5 (quinta-feira), para, oficialmente, ingressar na disputa. “Vamos tirar o grito da garganta e dar um …

02/08/2010 15:38



Com um início de campanha tumultuado, marcado por indefinições judiciais, o candidato a governador Wilson Santos (PSDB) afirmou que aguarda o julgamento do registro da candidatura pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), cujo prazo final é até o próximo dia 5 (quinta-feira), para, oficialmente, ingressar na disputa.

“Vamos tirar o grito da garganta e dar um ‘upgrade’ para vencer as eleições no Estado”, declarou, em entrevista ao MidiaNews, no fim de semana passado.

Wilson Santos enfrenta dificuldades para conseguir seu registro de candidato, que, até o momento, é provisório. Ele teve as contas da campanha de 2008, quanto disputou a reeleição à Prefeitura de Cuiabá, reprovadas em duas instâncias. Por este motivo, o candidato não conseguiu a certidão de quitação eleitoral, documento necessário para efetivação no pleito.

Ele declarou estar tranqüilo, acreditando que conseguirá ingressar na disputa eleitoral, citando como exemplo o caso da ex-deputada estadual Vera Araújo, Verinha (PT), que disputou, em 2008, como vice de Mauro Mendes (PSB) – também candidato ao Governo -, teve as contas de campanha reprovada e conseguiu o deferimento do pedido de candidatura.

“Estou muito seguro e minha assessoria me tranqüiliza sempre. A própria votação da Verinha nos abre um sinal tranqüilo, pois ela, eu e o Mauro [Mendes] estamos na mesma situação. Se o pleito da Verinha já foi aprovado por 5 a 1, então, eu e o Mauro teremos os registros deferidos”, comentou.

Pesquisa interna

O candidato informou que pesquisas internas apontam que o eleitor mostra-se em dúvida quando à sua candidatura, vê o quadro complicado, mas não deixa que opinar pelo voto nele. “Há é uma percepção de dúvida, de complicação, de que há alguma coisa fora do ar fora do eixo. Há essa percepção e as pessoas perguntam muito se Wilson é candidato”, revelou.

Wilson avaliou que esse fato traz uma “frustração” ao eleitoral, pois vê o sentimento de expectativa no eleitorado quanto à sua candidatura e uma “pequena” confusão. “Eu estou muito seguro porque eu não fiz nada de errado. Eu sempre agi com correção e sempre fiz política pelo lado bom. Estou muito seguro que vai ser feita justiça”, afirmou.

O tucano disse que está preparado e considerou que esse embate jurídico é somente uma etapa da “guerra” que será o pleito eleitoral. “Com eu sei que isso é uma guerra, estou preparado. Depois dessa, vem outra e, depois, virão outras. Tem muita cilada, muita armadinha… Tem muita gente que não gostaria de disputar as eleições comigo. Estou tranqüilo e tenho certeza de que teremos o deferimento”, disse.

Wilson acredita que essa campanha será marcada pelos embates judiciais. Inclusive, ele mesmo possui dois pedidos de impugnação de sua candidatura, mas disse que ficará na defensiva.

“Eu mesmo tenho uma equipe de mais de 10 advogados. Estamos mais para nos defender do que atacar. Acho que a população espera uma eleição de bom nível. Me preparei para isso, me preparei a vida toda para ser o governador de Mato Grosso”, finalizou.