Eleitor precisa fazer escolhas conscientes, alerta Maggi

O candidato ao Senado, Blairo Maggi (PR), alertou líderes políticos e moradores de Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá) para a importância de fazer escolhas conscientes no dia 3 de outubro. Ao alertar não apenas para a importância, mas para a responsabilidade que a democracia deposita nas mãos de cada eleitor, o ex-governador ressaltou …

03/08/2010 15:55



O candidato ao Senado, Blairo Maggi (PR), alertou líderes políticos e moradores de Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá) para a importância de fazer escolhas conscientes no dia 3 de outubro.

Ao alertar não apenas para a importância, mas para a responsabilidade que a democracia deposita nas mãos de cada eleitor, o ex-governador ressaltou o quanto o voto é decisivo nos rumos de uma comunidade e na vida direta do cidadão.

“Às vezes, quando a gente tem certas coisas, nem damos a devida importância. É assim em quase tudo na vida. Mas é quando a gente perde que percebemos a falta que aquilo faz. Por isso, talvez muita gente não saiba, mas faz uma grande diferença ter parlamentares brigando por uma região no cenário estadual e nacional”, destacou Maggi, em discurso durante o lançamento da candidatura à reeleição do deputado estadual Jota Barreto (PR).

Maggi observou que, para que o Estado continue aumentando sua participação na política nacional é importante que sejam eleitos não apenas os nomes apoiados pelo PR no município, mas de todos os candidatos que despontam na coligação “Mato Grosso em Primeiro Lugar”, incluindo a candidata à Presidência Dilma Rousseff (PT) e o governador Silval Barbosa (PMDB), que disputa a reeleição.

Para isso, conforme ressaltou Maggi, é essencial que diferenças políticas sejam deixadas de lado em prol de uma causa maior: o desenvolvimento não só de Rondonópolis, mas de todo o Estado.

“Antes do segundo mandato do Governo Lula, havia uma política nacional perversa com nosso Estado, que não nos dava voz e nem vez. Com muito trabalho e com a decisão de apoiar a reeleição do Lula, que muitos não entenderam na época, conseguimos mudar essa situação. Por isso digo que chegou o momento de superarmos as diferenças políticas locais por um projeto de Estado”, declarou.