Chico Galindo e Qualix são destaques na revista Veja

Praticamente “invisível” quando se trata de projetar sua imagem desde que assumiu a Prefeitura de Cuiabá, em março passado, o discreto prefeito Francisco Galindo (PTB) acaba de ganhar notoriedade nacional. A Veja, principal revista de circulação semanal no país, publicou em sua mais recente edição uma nota, na coluna “Holofote”, que relata a gravidade a …

09/08/2010 10:43



Praticamente “invisível” quando se trata de projetar sua imagem desde que assumiu a Prefeitura de Cuiabá, em março passado, o discreto prefeito Francisco Galindo (PTB) acaba de ganhar notoriedade nacional.

A Veja, principal revista de circulação semanal no país, publicou em sua mais recente edição uma nota, na coluna “Holofote”, que relata a gravidade a que chegou o problema do lixo em Cuiabá – e a quase insolvência da empresa Qualix Ambiental S.A, que atuava na coleta e gestão do aterro sanitário na capital.

Com o título “Na lata do lixo”, a nota do jornalista Felipe Patury afirma que Galindo foi obrigado a encerrar o contrato com a Qualix porque a empresa não tinha como colocar a sua frota na rua, tamanha crise.

Segundo a nota, a situação pré-falimentar “quase tirou do mercado uma das mais conhecidas empresas do setor, que já atendeu pelo nome de Enterpa e ainda atua em sete cidades”.

“Com faturamento na casa de R$ 1 bilhão por ano, a Qualix deve um terço disso a curto prazo. Contraído por seu antigo dono, o grupo argentino Macri, o débito foi assumido em março pela empreiteira Conspavi, que pretendia tornar-se conhecida nacionalmente. Fracassou. Às vésperas da insolvência, a Qualix foi assumida pelo fundo Arion Capital”, afirma a nota de Veja.

O empresário Luiz Carlos Félix, o “Caxito”, é o dono da Conspavi e ex-amigo dileto do ex-prefeito Wilson Santos (PSDB), candidato ao Governo do Estado.

Os dois romperam depois que começaram a surgir problemas na obra da “ETA Tijucal”, inclusive, alvo de denúncias de má gestão no PAC de Cuiabá.

Mais um pepino?

Apesar de aparantemente ter se livrado de um grave problema, que inclusive é responsável por puxar para baixo as intenções de voto em Wilson Santos, Galindo acaba de contratar, sem licitação, a Delta Construções S.A. para serviços emergencias na área do lixo.

Na última quinta-feira, um dos diretores da Delta foi preso por suposta prática de fraudes em licitação. Resta saber se Galindo não trocou seis por meia-dúzia