Estado está em chamas

Os satélites de monitoramento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram Mato Grosso em chamas. Em um único dia, no sábado, foram identificados 1,4 mil focos de calor. O total de focos está próximo dos 6 mil ao todo, desde o início do ano. As queimadas se concentram principalmente nos municípios das regiões norte …

10/08/2010 08:56



Os satélites de monitoramento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram Mato Grosso em chamas. Em um único dia, no sábado, foram identificados 1,4 mil focos de calor. O total de focos está próximo dos 6 mil ao todo, desde o início do ano.

As queimadas se concentram principalmente nos municípios das regiões norte e do Araguaia (leste). Há casos onde os primeiros focos surgiram há mais de uma semana e foram se multiplicando.

Esta é a situação do Parque Estadual Serra Ricardo Franco, em Vila Bela da Santíssima Trindade, a mais de 500 quilômetros de Cuiabá. Nesse parque de mais de 150 mil hectares são pelo menos 20 focos de incêndio espalhados por locais de difícil acesso, nos quais onde somente se consegue chegar a pé.

O outro parque que também está em chamas, com 15 focos, é o Santa Bárbara, localizado entre Porto Esperidião e Pontes e Lacerda (a 448 quilômetros de Cuiabá). Próximo da Capital, a menos de 60 quilômetros, o fogo também deixa rastros de destruição.

Com a ajuda de bombeiros deslocados de Cuiabá, os brigadistas do Instituto Chico Mendes (ICMBio), responsável pela gestão do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães, conseguiram conter alguns focos de incêndio no entorno da área de proteção. Entre quinta-feira e domingo, as equipes trabalharam intensamente no combate ao fogo em diversos pontos da reserva ambiental. Um dos maiores ocorreu no córrego Mutuca, à margem da área do parque. Outros focos castigaram a vegetação local (ver matéria).

Há tantos focos de incêndio que o comandante do Comando Regional do Corpo de Bombeiros, tenente-coronel João Rainho Júnior, começou a ficar preocupado, já que está tendo que liberar muitos bombeiros para o interior. Para não deixar a Capital e cidades da Baixada Cuiabana desguarnecida, Rainho disse que está reorganizando as equipes. Ontem, por exemplo, ele teve de enviar três bombeiros para Cocalinho, a 930 quilômetros de Cuiabá. Na região, o Parque Nacional Apameandros do Araguaia vive um incêndio desde a semana passada. Lá, 29 brigadista do ICMBio já atuam para debelar as chamas.

O Parque Nacional do Xingu, na altura do município de Santa Cruz do Xingu (a 1.230 quilômetros), também está pegando fogo. Lá, homens do Corpo de Bombeiros atuam desde a semana passada.

A cidade de Nova Ubiratã (502 quilômetros) é outro local preocupante. A extensão dos focos de calor na região é grande e motivou uma operação do Prevfogo, do Ibama, por conta do fogo utilizado para abrir novas pastagens.

AÇÃO – Uma grande operação de combate às queimadas teve início ontem no Estado. Cerca de 60 homens, divididos em 12 equipes terrestres e uma aérea, deixaram Cuiabá rumo aos municípios onde o fogo está destruindo a vegetação de áreas privadas, parques ambientais e reservas indígenas. Sem especificar as área, o superintendente de fiscalização da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema), tenente-coronel Paulo Ferreira Serbija, informou que a operação vai se estender por 12 dias.

Serbija informou que nesta ação querem pegar de surpresa e responsabilizar criminalmente aqueles que desrespeitam a proibição do uso do fogo, em vigor desde a primeira quinzena de julho. Por isso, além dos bombeiros, integram o grupo fiscais do Ibama, policiais militares, agentes da Polícia Civil e do Juizado Ambiental(Juvam), peritos criminais e entre outros agentes. Esta é primeira operação organizada após a instalação do Centro Integrado Multiagências de Coordenação Operacional no Estado.