Moradores aproveitaram Mutirão da Cidadania para fazer documentos pessoais

Marcelândia, MT – A população de Marcelândia foi chegando aos poucos na  Escola Municipal Castro Alves, onde ocorreu o Mutirão da Cidadania no município. A maioria dos moradores buscou a segunda via dos documentos que foram queimados pelo fogo, como RG, CPF, Certidão de Nascimento, Casamento, entre outros. Em virtude da tragédia ocorrida na cidade, …

20/08/2010 21:08



Marcelândia, MT – A população de Marcelândia foi chegando aos poucos na  Escola Municipal Castro Alves, onde ocorreu o Mutirão da Cidadania no município. A maioria dos moradores buscou a segunda via dos documentos que foram queimados pelo fogo, como RG, CPF, Certidão de Nascimento, Casamento, entre outros.

Em virtude da tragédia ocorrida na cidade, o Mutirão da Cidadania, ação desenvolvida pelo Governo do Estado, sob a coordenação da Secretaria de Trabalho, Emprego, Cidadania e Assistência Social (Setecs), trouxe alguns serviços extras para atender Marcelândia. De acordo com a superintendente de Promoção à Cidadania, Valéria dos Reis Juiz, além do RG e demais documentos de identificação, foi firmada uma parceria com o Banco do Brasil para a confecção também do CPF para a população. Ainda, o serviço de seguro desemprego para aqueles que perderam o trabalho no incêndio.

Todos os serviços foram oferecidos gratuitamente para população, a realização de documentos,  corte de cabelo ou, mesmo, o teste de glicemia e aferição da pressão arterial. “Temos uma expectativa de ter realizado mais de cinco mil atendimentos em Marcelândia, nesta sexta feira (20.08)”, analisou a superintendente.

“Para nós que perdemos tudo, o Mutirão da Cidadania é uma ajuda muito grande. Eu, meu marido e meus filhos fizemos todos os nossos documentos sem nenhum gasto”, disse Lúcia Helena da Silva Baques, uma das moradoras do município que teve sua casa destruída pelo incêndio.

Paulo Mateus, outro morador de Marcelândia, também compareceu ao Mutirão com intuito de retirar a segunda via dos seus documentos. “Essa ação é um conforto para nós, pois reúniu vários serviços em um local só e sem custo algum. É um consolo para nós, depois de tanto desespero, não é fácil perder 20 anos de trabalho em 30 minutos”.

A entrada no seguro desemprego exigiu extrato do FGTS, retirado nas casas lotéricas para quem tem o Cartão Cidadão ou emitido pelo empregador. Para emissão da segunda via da carteira de trabalho, foi necessário saber o número da carteira anterior, encontrado no livro de registro da empresa.