Só Silval pede voto para presidenciável

A propaganda dos candidatos ao governo de Mato Grosso no horário eleitoral gratuito evidenciou a ausência dos candidatos presidenciais no processo eleitoral de Mato Grosso. Com exceção de Silval Barbosa (PMDB) que pede votos à presidenciável Dilma Rousseff (PT) e ao presidente Lula (PT), campeão de popularidade, os dois outros principais aspirantes a governador – …

21/08/2010 08:13



A propaganda dos candidatos ao governo de Mato Grosso no horário eleitoral gratuito evidenciou a ausência dos candidatos presidenciais no processo eleitoral de Mato Grosso. Com exceção de Silval Barbosa (PMDB) que pede votos à presidenciável Dilma Rousseff (PT) e ao presidente Lula (PT), campeão de popularidade, os dois outros principais aspirantes a governador – o ex-prefeito cuiabano Wilson Santos (PSDB) e o empresário Mauro Mendes (PSB) – sequer mencionaram os candidatos.

Após um programa emotivo, pautado pelo tom sentimental, Silval falou de investimentos estaduais em rodovias e em microempresas. O peemedebista resgatou o balanço de investimentos da gestão de Blairo Maggi para reafirmar o compromisso de continuidade. O candidato à reeleição enaltece os 4.000 km de asfalto feitos nos últimos sete anos, as obras da MT-040 e a duplicação da rodovia Cuiabá/Chapada (MT 251) antes de prometer mais 2670 km de malha viária. “Atualmente, 97 dos 141 municípios do Estado estão interligados. Chegaremos a 100% das cidades nos próximos anos”, prometeu o candidato, que também se comprometeu a lutar pela inclusão do trecho Rondonópolis/Cuiabá na Ferronorte, pela Ferrovia Centro-oeste, hidrovias e aeroportos.

Numa tentativa de aumentar a representatividade na Baixada Cuiabana, parte do programa de Silval foi dedicado a seu vice, o cuiabano Chico Daltro (PP). Sua esposa, Roseli Barbosa, também reforça o ‘time’ do candidato. O depoimento em que o presidente Lula pede votos ao candidato do PMDB e a Dilma voltou às telinhas.

Em segundo lugar nas pesquisas, o candidato Wilson Santos ainda não explorou a imagem do tucano José Serra em sua campanha. Ciente do risco de criticar a gestão Lula, assim como a do ex-governador Blairo Maggi (PR), Wilson tem apresentado um programa focado, principalmente, nas falhas do sistema estadual de saúde.

Ontem, ele repetiu a propaganda da sua estreia no período da noite. O historiador abre o programa em Vila Bela da Santíssima Trindade, a primeira capital de Mato Grosso. O cumprimento de promessas de campanha na eleição municipal de 2008 recebe destaque, como a reforma do pronto-socorro de Cuiabá e o cursinho pré-vestibular gratuito implantado na Capital. Wilson admite que há problemas na saúde em Cuiabá, mas argumenta que as prefeituras não conseguem fazer um atendimento de qualidade devido à falta de hospitais regionais, uma obrigação do governo estadual. Ele voltou a prometer seis novos hospitais no Estado.

Por agregar partidos que apoiam Dilma, Serra e Marina Silva (PV), a coligação “Mato Grosso Melhor Pra Você” (PSB, PDT, PPS, PV), encabeçada por Mauro Mendes, tem optado por omitir o nome dos candidatos presidenciais. Em contrapartida, nos comícios adotam o discurso da pluralidade, dando aos seus eleitores a “liberdade” para a escolha do presidente.

Na TV, a campanha do socialista ainda explora a trajetória de um líder estudantil, que abriu uma empresa de fundo de quintal e se tornou um dos maiores empreendedores do Brasil. O pai de Mauro aparece no segundo programa do candidato contando como o ajudou com dois mil cruzeiros que foram usados para registrar a firma e comprar a primeira mesa do empresário. O programa exibe ainda Mauro Mendes discursando já como candidato a governador enfatizando ser o “novo”. “Em 2010, a verdade vai vencer a mentira”, falou para uma plateia.