Lotação máxima nos hoteis

Os 104 hoteis em operação em Cuiabá e Várzea Grande, num total de 4,32 mil leitos, não estão sendo suficientes para acomodar os cerca de 4,50 mil congressistas que “invadiram” Cuiabá esta semana para participar de um evento nacional do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Mato Grosso (Crea/MT), que começou no último …

24/08/2010 10:01



Os 104 hoteis em operação em Cuiabá e Várzea Grande, num total de 4,32 mil leitos, não estão sendo suficientes para acomodar os cerca de 4,50 mil congressistas que “invadiram” Cuiabá esta semana para participar de um evento nacional do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Mato Grosso (Crea/MT), que começou no último final de semana e vai até sexta-feira, dia 27.

A informação que se tem do segmento é de que o grande número de eventos, principalmente quando realizados simultaneamente, vem gerando déficit de leitos na Grande Cuiabá.

De acordo com a Fundação Pantanal Convention and Visitors Bureau, entidade responsável por captar eventos para Mato Grosso, este ano já foram realizados 18 somente em Cuiabá, atraindo cerca de 20 mil pessoas. Apenas no mês de agosto foram realizados três eventos de grande e médio portes – Congresso de Fitopatologia, para 1.500 pessoas, Reunião da Academia Brasileira de Fisiopatologia (400), Jornada de Anestesiologia (300) e, agora, o Encontro do Crea/MT, previsto para 4.500 pessoas. “A nossa expectativa é de que pelo menos 33 mil pessoas visitem Cuiabá até o final do ano”, estima o presidente da fundação, Omar Canavarros, lembrando que o número de eventos vem crescendo a uma média de 10% por ano em Cuiabá.

Até o final desta semana, a maioria dos hoteis continuará com sua lotação máxima e a média atual de ocupação em todos os hoteis da região, durante a realização do megaevento do Crea/MT, passa de 90%. A lotação dos hoteis levou muitas pessoas a buscar alternativas de acomodação, como motéis e pousadas próximas a Cuiabá.

“Estamos com todos os apartamentos ocupados, não há vagas”, diz uma funcionária da rede de hoteis Mato Grosso. Ao todo, são 477 apartamentos e 1.097 leitos no Paiaguás, Global, Homat, Pálace e Fazenda, todos ocupados até o final da semana. “Além do evento que está sendo realizado em Cuiabá, locamos espaços para reuniões de empresas e treinamentos”, disse.

Outros hoteis de grande porte, todos categoria quatro estrelas, também estão superlotados até o final desta semana. “Todas as reservas estão confirmadas e só teremos vagas se houver desistência”, informam os funcionários. Entre os hoteis que se encontram nessa situação estão o Deville, com 174 apartamentos e 348 leitos, Taiamã (121 apartamentos) Golden Tulip (104), Amazon (86) e Intercity, 80. “Ano passado o movimento foi bom, mas este ano está bem melhor”, avaliam empresários. 2010 – O diretor da Associação Brasileira de Indústria de Hoteis em Mato Grosso (Abih/MT), Guilherme Verdun, diz que o setor crescerá acima de 10% no período de janeiro a agosto deste ano e 15% só este mês. Mas faz uma ressalva: “A realização de eventos simultâneos vem acarretando transtornos para os hotéis, uma vez que os estabelecimentos não conseguem atender à grande demanda em uma mesma época de realização de mais de um evento”.

Segundo ele, Cuiabá não tem um calendário de eventos definido, ocasionando “choque” de datas. “Precisamos organizar as datas para evitar que em uma semana os hoteis estejam completamente lotados e, na outra, fiquem parcialmente ociosos”, defende Verdun. A superlotação, segundo ele, obriga também os hoteis a trabalharem com diária cheia. “Com isso, quem acaba perdendo são os clientes. Se os eventos fossem realizados um de cada uma vez a ocupação ficaria firme e os preços das diárias também seriam menores”.

Para Omar Canavarros, do Pantanal Convention Bureau, “é quase impossível impedir a coincidência de datas, já que muitos eventos são nacionais e têm sua programação definida com antecedência por instituições e outras entidades promotoras”.