Mauro pede investigação; Silval reage

As acusações do empresário Mauro Mendes (PSB) contra o governador Silval Barbosa (PMDB) abrem uma nova frente de disputa entre os candidatos ao governo do Estado. O embate eleitoral, dessa vez, se estende ao judicial. O socialista alega que o atual governo está pressionando prefeitos nos municípios para apoiarem a reeleição de Silval. “É difícil …

02/09/2010 08:09



As acusações do empresário Mauro Mendes (PSB) contra o governador Silval Barbosa (PMDB) abrem uma nova frente de disputa entre os candidatos ao governo do Estado. O embate eleitoral, dessa vez, se estende ao judicial.

O socialista alega que o atual governo está pressionando prefeitos nos municípios para apoiarem a reeleição de Silval. “É difícil lutar contra a máquina. A disputa se torna desleal”, disse Mauro. A assessoria jurídica do candidato solicitou à Polícia Federal abertura de inquérito para apurar suposta compra de prefeitos praticada pelo candidato da coligação “Mato Grosso em Primeiro Lugar”. A denúncia também foi encaminhada ao Ministério Público Federal.

Silval, conforme Mauro Mendes, estaria oferecendo combustível e pavimentação asfáltica às prefeituras em troca de apoio. Seu vice, deputado estadual Otaviano Pivetta (PDT), também acusa a administração estadual de ameaçar a redução no repasse financeiro às prefeituras fora do arco de aliança governista.

A assessoria jurídica do governador Silval Barbosa (PMDB) informou que vai acionar judicialmente o empresário Mauro Mendes em virtude das acusações. Uma ação penal por calúnia e outra de indenização por danos morais serão ajuizadas hoje contra o candidato do PSB.

Silval enfatiza que as acusações do empresário foram feitas após a divulgação do resultado da última pesquisa do Instituto Vox Populi, que o colocou com 38% de preferência do eleitorado, com vitória em primeiro turno.

O crescimento eleitoral verificado nas pesquisas tem levado o governador a arrebanhar apoio de prefeitos que fazem parte das coligações adversárias, lideradas pelo empresário Mauro Mendes (PSB) e o ex-prefeito Wilson Santos (PSDB). Um total de 13 prefeitos, que deveriam apoiar Wilson ou Mauro – sendo seis do DEM, cinco do PPS, um do PDT e outro do PSDB -, deram aval à reeleição do chefe do Executivo estadual.

Para Silval, isso representa o reconhecimento do trabalho realizado nos municípios. Afastando a denúncia do socialista Mauro Mendes, o peemedebista explica que não está comprando as prefeituras. Silval Barbosa pontua que, através do programa “MT 100% Equipado”, o governo distribuiu aos 141 municípios do Estado 705 máquinas e caminhões que operam na recuperação de estradas.

As cidades mato-grossenses também recebem ajuda estadual com combustível para garantir que os equipamentos funcionem. “Isso não é cooptar ou comprar. Isso é ajudar. Afinal, sou um governador municipalista e os prefeitos me apoiam porque sabem que terão ajuda”, reforçou o candidato. A compra das máquinas custou R$ 241 milhões, sendo que, de acordo com a Auditoria Geral do Estado (AGE), R$ 42 milhões foram superfaturados.