Petrobras termina nesta semana venda de ações para conseguir o dinheiro da exploração do pré-sal

Exatamente 106 dias depois que o Senado aprovou o projeto (PLC 08/10) que autorizou a Petrobras a lançar novas ações no mercado (capitalização), para conseguir dinheiro, a empresa termina nesta semana a complexa engenharia financeira que injetará em seus cofres bilhões de reais. O dinheiro será usado para financiar uma parte do seu plano de …

22/09/2010 15:42



Exatamente 106 dias depois que o Senado aprovou o projeto (PLC 08/10) que autorizou a Petrobras a lançar novas ações no mercado (capitalização), para conseguir dinheiro, a empresa termina nesta semana a complexa engenharia financeira que injetará em seus cofres bilhões de reais.

O dinheiro será usado para financiar uma parte do seu plano de investimentos de US$ 224 bilhões até 2014, incluindo a construção de refinarias, plataformas marítimas, navios, gasodutos e a perfuração e exploração das reservas de petróleo e gás da camada de pré-sal  da costa brasileira.

A venda das novas ações é uma operação casada com a cessão onerosa de 5 bilhões de barris de petróleo do pré-sal que a União fez à Petrobras – projeto de lei também já aprovado pelo Congresso. O barril dessa operação foi fixado pelo governo em US$ 8,51, significando que a Petrobras terá de pagar ao Tesouro Nacional cerca de R$ 74,8 bilhões. O governo autorizou a Petrobras a aumentar seu capital, pela venda de ações, em até R$ 150 bilhões.

Maior acionista da Petrobrás, a União irá comprar o máximo de ações permitido na capitalização, usando para isso o dinheiro que virá do pagamento dos 5 bilhões de barris. Ou seja, na prática a União não deverá usar dinheiro de impostos para bancar sua parte no aumento de capital da companhia.

Assim, no final, a maior fatia do dinheiro novo que entrará nos cofres da Petrobras virá da venda das novas ações aos acionistas privados, brasileiros e estrangeiros, em pregões nas Bolsas de Valores de São Paulo e de Nova York. Os acionistas privados têm cerca de 65% das ações da companhia, enquanto a União fica com os outros aproximadamente 35%. A União, no entanto, detém maioria de quase 56% nas ações com direito a voto, ou seja, a empresa é controlada pelo Estado brasileiro. A idéia do governo, conforme notícias dos jornais, é tentar aumentar a participação da União na empresa, caso os acionistas privados não comprem todas as ações a que têm direito na oferta.

O dinheiro proveniente do aumento de capital não será suficiente para bancar a longo prazo a ampliação dos negócios da companhia e para a exploração do pré-sal. Existem cálculos não oficiais que mencionam a necessidade de investimentos globais da Petrobras superiores a US$ 500 bilhões até 2020.

A capitalização, no entanto, permitirá que a estatal possa tomar novos empréstimos para financiar parte de seus investimentos. A capacidade de endividamento da Petrobras estava chegando ao máximo permitido pelo seu conselho de administração (35% de seu capital social). Caso tentasse novos e elevados empréstimos, poderia ser rebaixada pelas agências de risco, conforme alertaram especialistas. Eles também acreditam que a Petrobras fará novas capitalizações nos próximos anos para financiar seus investimentos.

A Petrobras produz atualmente cerca de 2 milhões de barris óleo equivalente (petróleo e gás) por dia, devendo atingir 3,9 milhões de barris de óleo equivalente em 2014 e 5,4 milhões em 2020.

Capitalização dá oportunidade a todos

A Petrobras está dando oportunidade a qualquer pessoa, acionista ou não, de comprar ações nesta capitalização, considerada a maior do mundo em bolsas de valores. O Congresso decidiu, ao aprovar o projeto da capitalização, que até os trabalhadores que compraram no passado ações com seu saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) poderiam participar agora. Essas pessoas tiveram prazo até o último dia 16 para fazer opção de compra. Todo acionista teve direito de reservar até 34% da sua atual posição em ações.

Os prazos de opção de compra já foram encerrados, menos para pessoas que não têm ações da Petrobras. Estas podem procurar os bancos e corretoras até esta quarta-feira (22). Além do mais, vão disputar em um rateio o total de ações que a Petrobras está destinando a novos acionistas.

Nesta quinta-feira (23), haverá a definição do preço das ações e a distribuição da oferta. No dia seguinte, 24, finalmente será feita a venda das ações nas Bolsas de Valores de São Paulo e de Nova York. Segunda-feira (27) será o primeiro dia em que o mercado negociará as novas ações.

Nos últimos dias, jornais e especialistas mostraram as vantagens e os riscos de se comprar as ações da petrolífera. No geral, opinaram que este não é um investimento para pessoas que podem precisar do dinheiro no curto prazo. No longo prazo, no entanto, eles acreditam em bom retorno financeiro.