TRE define plano de segurança contra compra de voto

O presidente do Tribunal Regional de Mato Grosso (TRE) se reuniu, nesta semana, com o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Diógenes Curado, para traçar o planejamento de segurança que será adotado no dia 3 de outubro e que contará com apoio das Polícias Federal, Civil e Militar. Além de garantir a segurança …

23/09/2010 12:45



O presidente do Tribunal Regional de Mato Grosso (TRE) se reuniu, nesta semana, com o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Diógenes Curado, para traçar o planejamento de segurança que será adotado no dia 3 de outubro e que contará com apoio das Polícias Federal, Civil e Militar.

Além de garantir a segurança do eleitor, o plano tem como objetivo aumentar a fiscalização contra crimes eleitorais, entre eles, a boca de urna e a compra e votos.

Em Cuiabá e Várzea Grande, onde são registrados maiores números de casos envolvendo crimes eleitorais, a Polícia Militar irá disponibilizar 45 policiais do serviço de inteligência. Eles vão percorrer os locais de votação, a fim de investigar possíveis irregularidades.

Além disso, a PM irá manter dois policiais em cada local de votação nas zonas rurais, e um policial em cada local de votação na zona urbana – onde é possível pedir reforço, caso haja necessidade.

Ao todo, a Polícia Militar irá disponibilizar 2.068 policiais no dia das eleições, 320 veículos entre carros e motos. Além disso, aproximadamente 1700 policiais estarão a disposição em casos de urgência.

Cabos eleitorais

Para auxiliar no trabalho de fiscalização, o presidente do TRE irá encaminhar às polícias a listagem com nomes, CPF, RG e endereço dos cabos eleitorais. Os candidatos tiveram até ontem (22) para encaminhar a lista à Justiça Eleitoral, sob pena de responder pelo crime de desobediência.

A listagem dos cabos eleitorais será útil, por exemplo, para detectar possível boca de urna, feita de forma dissimulada. Ao eleitor comum é permitida a manifestação isolada e silenciosa em favor de seu candidato, como, por exemplo, o uso de algum adesivo em sua roupa.

Contudo, se esta manifestação for realizada por cabos eleitorais, e em escala maior, tanto o cabo eleitoral quando o candidato responderão processo na Justiça Eleitoral.

Além da lista com o nome dos cabos eleitorais, o TRE irá encaminhar à Polícia Civil um resumo com todas as resoluções do Tribunal Superior Eleitoral, que venham a conter mudanças na legislação eleitoral em vigor a partir deste ano.