FHC perde sola de sapato e abandona caminhada pró-Serra

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso teve que abandonar no início da tarde de sexta-feira uma tumultuada caminhada pró-Serra promovida pelo PSDB no centro de São Paulo depois de perder a sola dos seus dois sapatos. “É bom gastar sola de sapato em campanha, né?”, brincou FHC, que saiu antes da metade do percurso de 1,5 …

30/10/2010 14:06



O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso teve que abandonar no início da tarde de sexta-feira uma tumultuada caminhada pró-Serra promovida pelo PSDB no centro de São Paulo depois de perder a sola dos seus dois sapatos.

“É bom gastar sola de sapato em campanha, né?”, brincou FHC, que saiu antes da metade do percurso de 1,5 km entre o Largo de São Francisco e a praça da República. O ex-presidente seguiu para seu instituto, o iFHC, também no centro de São Paulo.

Ao ser questionado sobre sua participação na campanha de José Serra (PSDB), o ex-presidente afirmou que durante a campanha, fez “tudo que o Serra pediu”.

Otimista, FHC diz que acredita em uma virada de Serra. A última pesquisa Datafolha mostra a manutenção da vantagem de 12 pontos percentuais (56% x 44%) de Dilma Rousseff (PT), com uma redução do percentual de indecisos.

Agora, segundo a pesquisa, eles são 4%.

“Sou sempre otimista, dá para virar, dá para ganhar”, disse.

A caminhada, que também contou com a presença do governador eleito Geraldo Alckmin (PSDB), do governador Alberto Goldman (PSDB) e do prefeito Gilberto Kassab (DEM), parou na praça da República.

Goldman discursou a cerca de três metros da escadaria do prédio da Secretaria de Estado da Educação. O governador, antes de discursar, chegou a ficar alguns minutos na escada, com adesivos de Serra. Saiu do prédio depois de ser alertado que é ilegal fazer campanha em prédios públicos. Outros simpatizantes do tucano acompanharam o discurso da escadaria, com adesivos e balões verde e amarelo.

Segundo a Polícia Militar, cerca de 3.000 pessoas estavam presentes na praça da República. Ao longo da caminhada, que reuniu mais gente devido à aproximação de curiosos, seguranças e jornalistas chegaram a se agredir. Também houve confusão entre os próprios seguranças que escoltavam as autoridades presentes.