Silval desiste de tirar férias este ano

O governador reeleito Silval Barbosa (PMDB), que antes de sua viagem à Bolívia no último dia 20, ao dar posse ao presidente da Assembleia, deputado Mauro Savi (PR), declarou que sairia de férias no final do ano dando ao parlamentar nova chance de comandar o Palácio Paiaguás, recuou da decisão e ficará no cargo até …

11/11/2010 09:00



O governador reeleito Silval Barbosa (PMDB), que antes de sua viagem à Bolívia no último dia 20, ao dar posse ao presidente da Assembleia, deputado Mauro Savi (PR), declarou que sairia de férias no final do ano dando ao parlamentar nova chance de comandar o Palácio Paiaguás, recuou da decisão e ficará no cargo até o término de 2010.

   O adiamento dos planos de lazer tem como principais motivos as definições orçamentárias e políticas para o próximo ano. De acordo com o governador, são cinco temas principais a serem resolvidos até a conclusão de seu mandato: o fechamento contábil e orçamentário das contas estaduais, a definição do orçamento para o exercício de 2011 e a participação na elaboração do orçamento da União, para defender recursos para o Estado a partir do ano que vem; a reestruturação administrativa do governo e a composição dos quadros de sua administração.

   Conforme informou recentemente, a ideia de Silval é que sua equipe de Governo seja empossada, juntamente com ele, em 1º de janeiro. As conversas para a reforma administrativa de seu novo mandato só começaram a ganhar corpo depois do segundo turno das eleições presidenciais, no último dia 31.

   Diante do anúncio, Savi, que sentiu o gostinho de comandar o Estado por apenas quatro dias, não deverá voltar tão facilmente ao comando do Executivo. Isso porque ele assumiu o cargo já que a atual administração não conta com um vice-governador, pois o eleito, Silval, assumiu o Governo em abril deste ano, quando o ex-governador Blairo Maggi (PR) se desincompatibilizou do Paiaguás para disputar o Senado.

   A partir do próximo ano, quem assume o Estado, na ausência do governador, será o vice Chico Daltro (PP). Se quiser voltar ao Paiaguás, além de garantir a presidência da Assembleia terá que torcer para que tanto Silval quanto seu vice se ausentem de Mato Grosso em viagem internacional ou por período superior a 15 dias.