Dois mil fetos são encontrados em templo

Dois mil fetos humanos, provavelmente fruto de abortos ilegais, foram descobertos em um templo da Tailândia, país que proíbe a interrupção da gravidez (a menos que a mãe tenha sido estuprada ou corra perigo de vida), indicou a polícia na sexta-feira. Na terça-feira, a polícia havia anunciado a descoberta de 348 fetos, envoltos em sacolas …

20/11/2010 10:46



Dois mil fetos humanos, provavelmente fruto de abortos ilegais, foram descobertos em um templo da Tailândia, país que proíbe a interrupção da gravidez (a menos que a mãe tenha sido estuprada ou corra perigo de vida), indicou a polícia na sexta-feira.

Na terça-feira, a polícia havia anunciado a descoberta de 348 fetos, envoltos em sacolas plásticas e jornais velhos, no necrotério de um templo budista, onde são mantidos os cadáveres antes da cremação.

“Supomos que eles vêm de clínicas que fazem abortos ilegais”, afirmou o coronel da polícia Metee Rakphan.

Posteriormente, mais 1.654 fetos foram encontrados em condições semelhantes em outras salas do necrotério.

Segundo Sombat Milintajinda, porta-voz policial, alguns estavam armazenados no local há mais de um ano.

Dados do ministério da Saúde tailandês dão conta de 80.000 abortos ilegais por ano no país.

O primeiro-ministro tailandês, Abhisit Vejjajiva, estimou que o episódio “mostra quão grave é o problema”, mas descartou modificar a lei que proíbe o aborto, afirmando que esta é “suficientemente flexível”.