Azambuja briga pelo Esporte; Silval empurra definição para dia 29

Enquanto líderes do PP e do DEM batem-cabeça, brigam entre si e não chegam a um consenso sobre indicação para cargo de secretário, o governador Silval Barbosa decidiu viajar, forçando o anúncio oficial do seu futuro staff para a próxima semana. Essa postergação representa um balde de água fria sobre a cabeça do vice-governador diplomado …

23/12/2010 10:26



Enquanto líderes do PP e do DEM batem-cabeça, brigam entre si e não chegam a um consenso sobre indicação para cargo de secretário, o governador Silval Barbosa decidiu viajar, forçando o anúncio oficial do seu futuro staff para a próxima semana. Essa postergação representa um balde de água fria sobre a cabeça do vice-governador diplomado Chico Daltro, que se mostra nervoso porque perdeu apoio interno sobre indicação para voltar ao comando da Ciência e Tecnologia e não tem mais uninimidade.

  Pelo desejo da cúpula do PP, sob Pedro Henry e José Riva, o secretário deve ser o deputado federal Eliene Lima para, com isso, abrir vaga na Câmara ao segundo-suplente Neri Geller. Apesar disso, Daltro continua batendo duro. Nos bastidores, ameaça até protocolar reclamação junto à direção nacional do PP, da qual faz parte, e se distanciar da administração Silval, caso não venha a ser escolhido para o posto de secretário. Ele não se mostra contente com o cargo de vice-governador. Quer acumular funnções.

   Silval viajou com a primeira-dama Roseli Barbosa e os filhos para as praias de Fortaleza (CE), onde vão permanecer até o dia 28. Só volta a despachar no Palácio Paiaguás na quarta (29). A tendência é que o anúncio do secretariado fique para esta data, quase 10 dias depois do previsto.

   O chefe do Executivo vai passar este período festivo com pensamento em três secretarias que ainda estão pendentes de definição: Ciência e Tecnologia, Esportes e Lazer e Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar. As duas primeiras são indicações do PP, que não conseguem chegar a um acordo por causa da intransigência de Daltro. Hoje, porém, a vaga na Ciência e Tecnologia está mais propícia para Eliene, que passou a ter apoio incondicional de Riva e Henry. Ademais, garantiria a Neri um presente de Natal, que seria poder assumir vaga na Câmara no lugar de Eliene, mas a partir de 1º de fevereiro, quando o Legislativo dará início aos trabalhos.

   Quando ao Esporte e Lazer, surge um outro concorrente de Luizinho Magalhães, vereador por Primavera do Leste e apresentador de TV e até então único indicado pelos progressistas para o cargo. Agora, o deputado reeleito pelo partido, médico Antonio Azambuja, de Pontes e Lacerda, se mostra interessado no cargo, principalmente depois que descobriu que o orçamento da pasta aumentou em 5.159%, saltando de R$ 13,3 milhões para R$ 702,2 milhões para o exercício de 2011. De qualquer forma, se Azambuja for escolhido, sua vaga na Assembleia ficará com Luizinho, que saiu das eleições deste ano na condição de primeiro-suplente.

   Perguntado na quarta sobre se Azambuja vai mesmo ser secretário de Esportes e Lazer, o deputado estadual eleito Riva ponderou que o PP ainda está envolvido numa discussão interna. Apesar disso, afirmou que foi sondado para o cargo. “Ele (Azambuja) ainda não aceitou (o cargo)”, limitou-se a dizer José Riva.

   DEM e impasse

   Outro impasse que continua travando a definição do secretariado é quanto ao comando da secretaria de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar. O DEM, por causa das exigências do deputado reeleito José Domingos, que só aceita o cargo de “porteira fechada”, corre risco de ficar fora do primeiro escalão. Cogita-se até transferir o direito à indicação para o PP, que tem Neri Geller como opção imediata para a pasta. Aliás, seu nome já tinha sido sugerido antes.

  O complicador maior é porque o DEM pertence à oposição. O deputado estadual Dilceu Dal Bosco, candidato derrotado a vice-governador da chapa de Wilson Santos, ponderou, em entrevista ao RDNews, que o partido precisa avaliar a proposta de integrar a gestão Silval com mais prudência para não ir contra a opinião pública. A intenção do Paiaguás em atrair o DEM é atender duas questões estratégicas: contemplar o suplente Gilmar Fabris na Assembleia, pois entraria na vaga de Domingos, e ter mais um partido na base aliada.