Exportadores usarão versão mais moderna de sistema de comércio exterior a partir de janeiro

Os exportadores só poderão usar a versão atual do Siscomex até o dia 10 de janeiro, quando o sistema será desligado, segundo a Portaria 29 (veja ao lado) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Depois dessa data, será preciso usar o Novoex, a versão mais moderna do sistema. O Siscomex é um sistema …

27/12/2010 09:13



Os exportadores só poderão usar a versão atual do Siscomex até o dia 10 de janeiro, quando o sistema será desligado, segundo a Portaria 29 (veja ao lado) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Depois dessa data, será preciso usar o Novoex, a versão mais moderna do sistema.

O Siscomex é um sistema informatizado responsável por integrar as atividades de registro, acompanhamento e controle da saída e do ingresso de mercadorias no país. O sistema permite ainda que o exportador ou o importador troque informações com os órgãos responsáveis pela autorização e fiscalização.

O novo sistema está em funcionamento desde o dia 17 de novembro e, para ter acesso à nova arquitetura, agora em plataforma web, o interessado deve acessar o site do ministério, clicar em Comércio Exterior e depois em Siscomex. De acordo com o ministério, desde 17 de dezembro, data em que os dois sistemas começaram a operar paralelamente, o Novoex contabilizou 25.035 registros de exportação.

A expectativa é que o Novoex atinja 4,7 milhões de operações, com média diária de 20 a 23 mil registros de exportação – o mesmo número de operações registrado em 2009.
De acordo com o ministério, “os atuais usuários estão automaticamente habilitados a operar com o mesmo login e senha dos demais módulos do Siscomex”.

A modernização do Siscomex é necessária porque o antigo sistema informatizado foi construído no início da década de 90 para rodar em “DOS” (sigla em inglês para Sistema Operacional em Disco), uma antiga plataforma com tela preta e comandos nada intuitivos, que precisavam ser digitados, bem diferente do seu sucessor “Windows”.

O novo sistema também evitará que um exportador tenha que fornecer informações para vários órgãos como a Receita Federal, a Secretaria de Comércio Exterior e a Secretaria de Portos.