Briga dura: empresários e deputados entram na disputa com Chico Galindo pela prefeitura de Cuiabá

O próximo prefeito de Cuiabá só será conhecido no dia três de outubro de 2012, mas a disputa pelo cargo máximo do Executivo Municipal já começou. E a briga promete ser dura. Se buscar a reeleição, Chico Galindo (PTB) deve enfrentar nomes de peso da política e também da iniciativa privada. A grande surpresa é …

28/12/2010 16:11



O próximo prefeito de Cuiabá só será conhecido no dia três de outubro de 2012, mas a disputa pelo cargo máximo do Executivo Municipal já começou. E a briga promete ser dura. Se buscar a reeleição, Chico Galindo (PTB) deve enfrentar nomes de peso da política e também da iniciativa privada. A grande surpresa é o nome de João Dorilêo Leal, dono do Grupo Gazeta de Comunicação. Os deputados estaduais Sérgio Ricardo (PR) e Guilherme Maluf (PSDB) e o empresário Mauro Mendes também estão fortemente cotados.
Cinco nomes que terão pelo menos um ano antes da eleição propriamente dita para articular suas candidaturas à Prefeitura de Cuiabá.

Apesar de ter assumido o Executivo no primeiro semestre deste ano com a renúncia de Wilson Santos (PSDB), Galindo vai começar apenas em 2011 a sua gestão. Com a derrota de Santos nas eleições de 2010, o prefeito ainda manteve uma forte ligação com o tucano, entretanto, se pretende entrar na batalha para continuar no Alencastro precisará cortar esse cordão umbilical.
 Wilson saiu com um desgaste muito grande. Galindo entrou com muita expectativa da população, mas ainda não mostrou a que veio. Sua meta é retomar as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), solucionar o problema da distribuição de água e asfaltar a Capital.

Aos amigos, Dorilêo já garantiu que vai ser candidato em 2012 para realizar um sonho pessoal. O grande empresário da comunicação mato-grossense é considerado um nome de peso na disputada. Primeiro porque comanda um verdadeiro império com a TV Record, que está em praticamente todos os municípios do estado, e o Jornal A Gazeta, um dos mais lidos de Cuiabá. Mas o seu maior trunfo deve ser sua composição política.

Nos bastidores, comenta-se que o PMDB, do governador Silval Barbosa e do cacique Carlos Bezerra, já estaria namorando o empresário. O ex-governador e hoje senador da república Blairo Maggi (PR) também estaria disposto a apóia-lo. Uma grande articulação que levaria Dorilêo a disputar pelo PMDB, com a anuência do ex e do atual governador, que possuem um ótimo conceito com a opinião pública.

 Na contra mão, Dorilêo pode ter pela frente a TV Centro América, afiliada da Rede Globo em Mato Grosso, como sua maior inimiga. Os dois principais grupos de comunicação do estado vivem um clima de guerra há muitos anos, inclusive com declarações públicas de ambos os lados. Além dos adversários naturais, a Globo seria uma grande pedra no meio do caminho de Dorilêo.

 Derrotado nos últimos dois pleitos que disputou, o empresário Mauro Mendes (PSB) também surge na disputa. Hoje já conhecido no cenário político, Mendes é um candidato forte, porém, é possível que abra mão de disputar a Prefeitura em uma jogada estratégica. O socialista já queimou muitas fichas e tem apenas mais uma para gastar. Em 2010 mostrou que tem cacife para uma disputada pelo Governo e deve focar suas atenções para esse objetivo.

Como de costume, o deputado Sérgio Ricardo (PR) já colocou seu nome na briga. Um dos campeões de voto nas eleições passadas, Sérgio tem internamente o seu maior problema. Todas as vezes que ousou a Prefeitura ou até mesmo o Governo, foi literalmente fritado dentro do PR. Para muitos, o apresentados de TV é carta fora do baralho.
 Outra surpresa é o nome do também deputado estadual Guilherme Maluf, único nome do PSDB que sobreviveu a grande tragédia das eleições deste ano. De uma safra nova da política, reeleito deputado, Maluf já foi secretário de Saúde de Cuiabá e até cotado para assumira pasta no governo de Silval. Cuiabano, médico, é outro nome forte para a disputa. Com a derrota de tucanos de alta plumagem como Wilson, Antero Paes de Barros e Thelma de Oliveira, além do imbróglio jurídico envolvendo Nilson Leitão, Maluf deve assumir o comando do PSDB em Mato Grosso.