Sem IPI, setor não avançou em 2010

Relatório de emplacamentos de veículos divulgado  pelo Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos (Sincodiv) revela equilíbrio do mercado entre 2010 e 2009. Segundo os dados, foram emplacados 108.222 veículos, em Mato Grosso, entre janeiro e dezembro do último ano. Na comparação com o mesmo período de 2009, a diferença é positiva em apenas 0,42%. …

11/01/2011 09:41



Relatório de emplacamentos de veículos divulgado  pelo Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos (Sincodiv) revela equilíbrio do mercado entre 2010 e 2009. Segundo os dados, foram emplacados 108.222 veículos, em Mato Grosso, entre janeiro e dezembro do último ano. Na comparação com o mesmo período de 2009, a diferença é positiva em apenas 0,42%. À época, foram emplacados 107.764 veículos no Estado.

De acordo com avaliação do sindicato, ao contrário do boom em vendas registrado em 2009, no ano passado os veículos zero quilômetros “que sempre foram símbolos do poder aquisitivo da população, ganharam um concorrente de peso para disputar a atenção do consumidor: os imóveis”. As facilidades para aquisição do imóvel alteraram a ordem de prioridades na economia mato-grossense. “Quem pôde investir em um prazo mais longo para comprar a casa própria, deixou o sonho do carro novo em segundo plano”.

o presidente do Sincodiv, Paulo Boscolo, explica que o apelo para atrair o consumidor foi muito grande no segmento de imóvel. “Isso provocou uma mudança de foco que refletiu no segmento de automóveis”. De qualquer forma, destaca o presidente, esse resultado já era previsto no início de 2010 e, portanto, não provocou surpresas na classe concessionária. “O ano foi muito positivo”, afirma.

Em uma retrospectiva de 2010, é possível identificar três momentos de mercado. Até o mês de março, em virtude da ainda vigente redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), houve alta demanda de consumidores em busca do carro zero. Nos meses seguintes, sem incentivos, a comercialização estabilizou, acompanhando o ritmo da economia nacional. “Para fechar o ano, o anúncio da mudança nas regras de financiamento, aliado ao tradicional mês de férias em que todos querem um carro novo para viajar, provocou corrida às concessionárias”, afirma Boscolo.

Os seis segmentos contemplados pelo levantamento do Sincodiv (automóveis, comerciais leves, pesados, ônibus, motocicletas e semi-reboque) mantiveram a estabilidade prevista. O setor que teve impulso considerável foi o de comerciais leves, pois representa forte tendência para os próximos anos. “Em 2010 foram comercializados 12.899 veículos desse porte em Mato Grosso, o valor sobressai em 9,06% o registrado em 2009. As camionetes, até então utilizadas apenas fora da estrada, têm se tornado preferência também no meio urbano”, explica Boscolo.

2011 – Para o presidente do Sincodiv, Paulo Boscolo, o ano de 2011 deve manter a estabilidade conquistada em 2010. “O primeiro ano de um novo governo nacional é sempre um ponto de interrogação, não sabemos quais medidas adotadas poderão influenciar na economia, mas a perspectiva do setor é que não haja grandes mudanças”, pontua Boscolo.

CUIABÁ – A capital do Estado, Cuiabá, fechou o ano com retração, em relação ao apurado em igual período de 2009, emplacando -0,52%. No último ano foram vendidos 31.164 veículos contra 31.327 em 2009. O responsável por puxar os números foi o segmento de automóveis, que emplacou 16.579 veículos, valor 6,27% menor que o registrado em 2009. Todos os outros segmentos apresentaram elevação no confronto anual.