Agronegócio: Brasil exporta mais aos árabes

No primeiro mês deste ano, a Argélia importou 126,7% a mais, enquanto o Marrocos apresentou crescimento de 108% e o Egito de 83,6%. No geral, os países árabes importaram 10,5% a mais em produtos do agronegócio brasileiro na comparação entre o primeiro mês de 2010 e janeiro de 2011. Em valores, as exportações do Brasil …

14/02/2011 12:02



No primeiro mês deste ano, a Argélia importou 126,7% a mais, enquanto o Marrocos apresentou crescimento de 108% e o Egito de 83,6%.

No geral, os países árabes importaram 10,5% a mais em produtos do agronegócio brasileiro na comparação entre o primeiro mês de 2010 e janeiro de 2011. Em valores, as exportações do Brasil à região, no período de comparação, passaram de US$ 499,5 milhões para US$ 552 milhões. Já as exportações totais do país nos meses analisados cresceram 26,3%. No período, a China, maior comprador do agronegócio brasileiro, aumentou suas importações do país em 94,3%.

Com US$ 5,1 bilhões exportados em janeiro deste ano, o primeiro mês de 2011 teve o melhor desempenho para o mês de janeiro desde 1989, quanto teve início a série histórica. O saldo da balança comercial do setor agropecuário teve acréscimo de US$ 800 milhões, comparando com janeiro de 2010, e alcançou US$ 3,9 bilhões. Nos últimos 12 meses, os embarques chegaram a US$ 77,5 bilhões, valor recorde para o período.

O complexo soja, seguido de café e carne de frango in natura, teve o maior crescimento no mês. A receita com a soja em grãos subiu 136,3% e a quantidade embarcada aumentou 123,7%. Os resultados do óleo foram ainda mais significativos. O volume exportado cresceu 377,8% e o valor foi 531% maior que o obtido em janeiro de 2010. No total, as exportações do complexo soja totalizaram US$ 598,6 milhões, aumento de 89,3% no período.

Os embarques de café foram 65,9% maiores que o valor obtido no primeiro mês do ano passado, alcançando US$ 595,4 milhões. A quantidade embarcada do café em grãos subiu 23,9% (155 mil toneladas). Em relação ao frango in natura, foram US$ 505 milhões, 51,4% a mais que o valor registrado em janeiro de 2010. O volume exportado subiu 28%, resultando em 268 mil toneladas comercializadas.