Atração de investimentos para Mato Grosso é garantida com parcerias público-privadas

Aos poucos os trilhos darão lugar ao desenvolvimento crescente transformando Itiquira, um tímido município do interior de Mato Grosso, num importante ponto para embarque e desembarque de cargas do Brasil, com a instalação do terminal intermodal da ferrovia senador Vicente Vuolo, mais conhecida como Ferronorte, cujas obras foram lançadas oficialmente no sábado (19.02). O que …

21/02/2011 10:20



Aos poucos os trilhos darão lugar ao desenvolvimento crescente transformando Itiquira, um tímido município do interior de Mato Grosso, num importante ponto para embarque e desembarque de cargas do Brasil, com a instalação do terminal intermodal da ferrovia senador Vicente Vuolo, mais conhecida como Ferronorte, cujas obras foram lançadas oficialmente no sábado (19.02). O que realmente fez com que o projeto de mais de 30 anos se tornasse realidade foi, além da vontade política dos governantes nos últimos anos, a parceria entre a iniciativa privada e o poder público, que se uniram em prol do beneficiamento da economia de Mato Grosso.
Com a exploração do garimpo de diamantes, Itiquira, antes de se tornar um município, atraía migrantes do nordeste do Brasil e imigrantes portugueses, russos e alemães, que buscavam melhores condições de vida com a exploração de minerais. Em 1937 foi criado o município de Itiquira, por meio da lei nº 118 de19.10.37. Dezesseis anos depois Itiquira foi emancipada com a Lei nº 654 de 01.12.53.
Com a construção da estrada Cuiabá-Campo Grande, além da exploração de minérios, a lavoura tomou impulso no município, se transformando, então, em1980, num grande produtor de grãos de Mato Grosso.
Juntamente com o desenvolvimento, chega o progresso, os sinais de Tv, o comércio crescente, as empresas que aos poucos se instalam na cidade do interior, que até então era apenas um ponto de garimpo e hoje se torna um importante terminal ferroviário para o Brasil, fomentando a economia nacional e principalmente colocando Mato Grosso em lugar de destaque.
Com o progresso e o desenvolvimento, os olhares de grandes indústrias e empresas passaram a se voltar para Mato Grosso, que viram nesse Estado uma alternativa rentável para a economia. A Seara Alimentos enxergou no Sul do Estado grandes perspectivas e em parceria com a América Latina Logística (ALL), responsável pela construção da ferrovia, colocaram na prática a construção de um trecho da Malha Norte da estrada de ferro em Itiquira. A alternativa de uma logística para o escoamento de grãos e transporte de cargas, aliados ao grande potencial local atraíram os interesses da empresa de alimentos. Segundo o presidente da Seara, Santo Zanin, isto “representa a segmentação da empresa” o que resulta em melhorias para Mato Grosso.
Como uma das incentivadoras da logística mato-grossense, a Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt) participa ativamente da melhoria infraestrutural para o escoamento da produção. O presidente da Federação, Jandir Milan, falou da luta constante para a redução do custo do frete, a geração de mais emprego, renda, atraindo novas indústrias. “Com a continuação das obras da ferrovia teremos avanços. A Ferronorte sempre esteve em nossas discussões já que é um dos principais projetos para alavancar a economia de Mato Grosso”.
UNIÃO DOS GOVERNOS
Luta antiga, encabeçada principalmente pelo senador Vicente Vuolo, já falecido, hoje une esforços também dos Governos Federal e Estadual que ressaltaram a importância que os trilhos representam para o desenvolvimento, principalmente dos municípios de Mato Grosso.
O ex-governador Blairo Maggi e o governador Silval Barbosa enfatizaram a luta e o entendimento do Governo Federal, por meio do presidente Lula e agora da presidenta Dilma Rousseff, que investiram nas obras da ferrovia, acreditando, principalmente na capacidade de desenvolvimento logístico de Mato Grosso, inserindo-o ao corredor de grãos do Brasil. “Queremos dar condições de competitividade para benefício direto da produção e da economia. A nossa determinação é atingir a logística na ferrovia, hidrovia e tantos outros setores que darão oportunidade à população”, diz Silval Barbosa.