Primeira nave entra na órbita de Mercúrio

Trata-se do planeta mais pequeno do sistema solar, o mais próximo do Sol e também o de mais difícil exploração. “É um momento histórico, vamos entrar numa nova era”, disse ao CM o astrónomo José Matos. O conhecimento sobre Mercúrio era escasso. Nos anos 70 do século passado, a nave ‘Mariner 10’ passou perto do …

17/03/2011 10:46



Trata-se do planeta mais pequeno do sistema solar, o mais próximo do Sol e também o de mais difícil exploração. “É um momento histórico, vamos entrar numa nova era”, disse ao CM o astrónomo José Matos. O conhecimento sobre Mercúrio era escasso. Nos anos 70 do século passado, a nave ‘Mariner 10’ passou perto do planeta três vezes, mas desde então não houve mais aproximações. “Conhecíamos apenas 45 por cento do planeta e agora com a ‘Messenger’, que nesta missão já fez três passagens, passámos a conhecer 98 por cento”, explica o cientista.

Mas com a entrada em órbita poderá ser possível deslindar dois mistérios de Mercúrio. “Os pólos de Mercúrio são mal conhecidos e há suspeitas de que possam ter gelo, como a Terra. A ‘Messenger’ poderá fotografar os pólos e tirar essa dúvida”, explicou José Matos.

O outro mistério que a sonda poderá ajudar a desvendar é o facto de “um planeta tão pequeno ter um campo magnético tão forte e uma densidade média tão elevada”. Para suportar as temperaturas de 350 graus centígrados, a sonda está equipada com “um escudo solar feito de cerâmica de grande resistência”. As manobras de aproximação estavam previstas para começar à 01h09 da última madrugada. Para entrar em órbita, a nave terá de se deslocar a 104 607 quilómetros por hora.

A primeira foto em órbita deve ser divulgada no dia 29. A Agência Espacial Europeia e o Japão enviam duas sondas a Mercúrio em 2014, na missão BeppiColombo. Portugal está envolvido: o Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas e a empresa Efacec desenvolveram um instrumento destinado a detectar partículas em torno do planeta.