Excesso de chuva adia início da moagem de cana em MT

A usina Libra, em São José do Rio Claro, a 315 quilômetros a médio-norte de Cuiabá (MT), que na segunda-feira da semana passada deveria dar a largada na moagem da cana da safra 2011/2012 no Estado, adiou o início das operações por causa das fortes chuvas. Segundo o diretor-executivo do Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras de …

23/03/2011 09:35



A usina Libra, em São José do Rio Claro, a 315 quilômetros a médio-norte de Cuiabá (MT), que na segunda-feira da semana passada deveria dar a largada na moagem da cana da safra 2011/2012 no Estado, adiou o início das operações por causa das fortes chuvas. Segundo o diretor-executivo do Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras de Mato Grosso (Sindálcool), Jorge dos Santos, a empresa optou por aguardar o fim das chuvas, previsto para início de abril, já que os estoques de passagem estão confortáveis no Estado.
O Sindálcool não tem estimativa fechada sobre a produção de açúcar e álcool desta safra, pois as empresas ainda não têm levantamentos sobre o impacto da forte estiagem ocorrida no ano passado nos canaviais.

Santos diz que a previsão inicial é moer 15,5 milhões de toneladas de cana, de 11 indústrias instaladas no Estado, que produzirão 1 bilhão de litros de etanol e 450 mil toneladas de açúcar. Na safra passada foram 850 milhões de litros de etanol e o mesmo volume de açúcar.

Um dado concreto é o aumento de 8% na área plantada, que deve atingir 220 mil hectares, com a entrada em operação plena da unidade de Alto Taquari (479 quilômetros ao sul de Cuiabá), da ETH Bioenergia. A empresa, que deve moer nesta safra 2,5 milhões de toneladas de cana e produzir 280 milhões de litros de etanol, deve iniciar operações em 1.º de abril. A empresa já tem 1.600 trabalhadores contratados e deve chegar até o fim do ano aos 3.500 empregados, para atender a unidade de Costa Rica (MS).

Santos diz que, ao contrário de outros Estados, a situação dos estoques de etanol em Mato Grosso é tranquila. Em janeiro deste ano a demanda caiu para 26 milhões de litros, ante 36 milhões de litros em dezembro, com a retração do consumo típica das férias. No ano passado, consumiram-se 416 milhões de litros e a previsão para este ano é de 450 milhões.

Falta crédito
Sindálcool-MT reivindica financiamento para produtor renovar os canaviais. Estudo indica que 60% dos canaviais do Centro-Sul já estão no 4º ano de corte.

fonte:Estadão