Saem Atacadão e Parque de Exposições

Estão confirmadas as transferências do supermercado Atacadão e do Parque de Exposições Agropecuárias da Acrimat, na região do Porto e Dom Aquino, respectivamente, para começo de obras. Nesses dois espaços distintos serão executados projetos da Copa de 2014. A área do Atacadão, por exemplo, será ocupada quase que em sua totalidade por duas importantes obras …

03/04/2011 10:11



Estão confirmadas as transferências do supermercado Atacadão e do Parque de Exposições Agropecuárias da Acrimat, na região do Porto e Dom Aquino, respectivamente, para começo de obras. Nesses dois espaços distintos serão executados projetos da Copa de 2014.

A área do Atacadão, por exemplo, será ocupada quase que em sua totalidade por duas importantes obras de mobilidade urbana. O prédio anexo ao mercado atacadista, no cruzamento das avenidas XV de novembro e Beira-Rio, que hoje abriga os setores administrativos de pessoal e compras, e o estacionamento interno terão de ser demolidos para que a via possa ser ampliada e contemple as mudanças do sistema de transporte coletivo.

Já na área de carga e descarga, que fica nos fundos, entre as avenidas Beira-Rio e Tenente Coronel Duarte (Prainha), está prevista a construção de uma das principais estações de ônibus, provavelmente do BRT (Bus Rapid Transit).

O presidente da Agecopa, Yênes Magalhães, assegurou que tanto a saída do Atacadão quanto a mudança do Parque de Exposição já foi negociada. Em ambos os casos, diz, o processo está na fase de levantamento e avaliação das benfeitorias, um trabalho de responsabilidade das secretarias de Administração (SAD) e de Transporte e Pavimentação Urbana.

Conforme Yênes, a única exigência da direção da rede Atacadão foi para que o governo do Estado disponibilize uma área para o novo prédio do empreendimento próximo à região do Porto. Essa condicionante teria uma explicação plausível do ponto de vista econômico. A loja, a primeira a ser construída em Cuiabá, segundo Yênes, seria a mais lucrativa do grupo atacadista no país.

Sobre o Parque de Exposições, onde a Agecopa prevê a construção de um fan park (arena de show e lazer onde a população pode assistir a transmissão dos jogos), Yênes Magalhães explicou que por causa de questões legais, especificamente as eleições de 2010, o governo teve de adiar as negociados de compra e transferência.

Este ano, informou, o Estado destinou R$ 5 milhões no orçamento da Agecopa para compra de 100 hectares de terras às margens das rodovias do Imigrantes e Palmiro Paes de Barros (de acesso a Santo Antônio de Leverger). A área tem dois acessos, um em cada rodovia.

Como pagamento das benfeitorias, o governo deverá abrir e pavimentar as ruas do novo parque e construir as redes de água e esgoto. Para as edificações, prédio administrativo, baias e outros, os deputados e senadores da bancada mato-grossense destinaram, cada um, R$ 800 mil no orçamento da União.

Na avaliação de Yênes, não há razões para preocupação com projetos ou obras para a Copa de 2014. Ele está convicto que o Estado atenderá as exigências do comitê organizador da Copa dentro dos prazos estabelecidos. O que pode ocorrer, avaliou, é a execução simultânea de diversas obras a partir do ano que vem.

MUDANÇAS – O presidente da Agecopa disse que os projetos da Copa traçados para a região do Porto já sofreram alterações para preservar o Patrimônio Histórico. Na ideia inicial, contou ele, as obras de ampliação das vias atingiriam o Beco da Lama, uma viela tombada que sedia diversos prostíbulos. Impedidos de seguir com a proposta, disse que tiveram de fazer adequações que avançaram na área do Atacadão para atender as especificações do novo sistema de transporte coletivo, o BRT.