Primeira obra de mobilidade urbana será lançada segunda-feira

O governador Silval Barbosa e o presidente da Agecopa, Eder Moraes, lançam nesta segunda-feira (09.05) a primeira obra de mobilidade urbana, integrante de um conjunto de intervenções que preparam a Grande Cuiabá para o maior evento de sua história, a Copa de 2014. A partir das 10 horas será dada a ordem de serviço para …

07/05/2011 09:13



O governador Silval Barbosa e o presidente da Agecopa, Eder Moraes, lançam nesta segunda-feira (09.05) a primeira obra de mobilidade urbana, integrante de um conjunto de intervenções que preparam a Grande Cuiabá para o maior evento de sua história, a Copa de 2014. A partir das 10 horas será dada a ordem de serviço para a duplicação da ponte Mário Andreazza, sobre o rio Cuiabá.

A licitação para a duplicação da ponte foi realizada pela então Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) no ano passado, através da concorrência nº 025/2010. A empresa Atrativa Engenharia Ltda foi a vencedora do certame. A licença ambiental foi concedida, autorizando os procedimentos para o início das obras.

A construção da ponte em concreto pré-moldado protendido com extensão de 228 metros e largura de 11 metros e a adequação da ponte já existente sobre o rio Cuiabá, estão orçadas em R$ 11,5 milhões.

RODOVIA

Em seguida será autorizada a licitação para a duplicação da rodovia Mário Andreazza, da avenida Miguel Sutil em Cuiabá ao Trevo do Lagarto em Várzea Grande. A restauração e duplicação da MT-444, Rodovia Mário Andreazza, será licitada pela Secretaria de Transporte e Pavimentação Urbana (Setpu) e custeada com recursos da Agecopa.

As obras estimadas em R$ 22,7 milhões vão do entroncamento da Av. Miguel Sutil (Av. Ciríaco Cândia) até o entroncamento das BRs 070, 163 e 364 (Trevo do Lagarto), num total de 9,417 km.

INTEGRAÇÃO

A MT-444 constitui-se numa das mais importantes vias de integração entre Cuiabá – Várzea Grande, sendo uma importante alternativa viária entre os dois centros urbanos, bem como ligação entre Cuiabá e o interior do Estado através do Trevo do Lagarto, sem a travessia pelo centro de Várzea Grande.

A duplicação se justifica não só pelo aumento do fluxo de veículos decorrente do crescimento das duas cidades, mas também em função da necessidade de criar alternativas viáveis para a mobilidade urbana durante a Copa 2014.

As obras para duplicação da rodovia incluem os serviços de terraplenagem; pavimentação; drenagem; sinalização e projeto de recuperação do meio ambiente. O revestimento da pista a ser implantada será feito em concreto betuminoso usinado à quente – CBUQ.

O projeto geométrico não ultrapassou os limites da faixa de domínio da rodovia federal, não tendo sido atingida nenhuma edificação ou benfeitoria que motivasse desapropriação de qualquer natureza.

fonte: Secom/MT