PAPA: FAMÍLIA É RECURSO INSUBSTITUÍVEL PARA A EVANGELIZAÇÃO

Dezenas de milhares de pessoas participaram no hipódromo de Zagreb da missa solene presidida pelo papa em seu segundo e último dia de visita à Croácia, na I Jornada Nacional das famílias católicas croatas. O Pontífice chegou ao local às 9h30 locais, em ‘papamóvel’, em meio a milhares de fiéis, muitos dos quais passaram a …

05/06/2011 10:11



Dezenas de milhares de pessoas participaram no hipódromo de Zagreb da missa solene presidida pelo papa em seu segundo e último dia de visita à Croácia, na I Jornada Nacional das famílias católicas croatas.
O Pontífice chegou ao local às 9h30 locais, em ‘papamóvel’, em meio a milhares de fiéis, muitos dos quais passaram a noite no hipódromo depois de participar ontem na vigília com Bento XVI na praça principal de Zagreb.
Da missa, participaram todos os bispos croatas e muitos de países vizinhos, como Bósnia-Herzogovina. Croatas da diáspora também foram expressamente à cidade para participar da visita papal.
Em sua homilia, o pontífice insistiu na dimensão missionária da família, na educação dos filhos e em geral na participação ativa na missão da Igreja e na vida da sociedade. Fez um verdadeiro ‘cântico’ à família tradicional fundada no matrimônio entre um homem e uma mulher, condenou o aborto e a eutanásia e assinalou que uma “família autêntica, baseada nestes princípios, é uma boa nova para o mundo”.
Bento XVI começou comentando os textos da missa, do domingo depois da Ascensão (celebrada quinta-feira na Croácia). Em seguida, considerando a composição da assembleia, constituída principalmente por famílias, ele recordou que “a família cristã é um sinal especial da presença e do amor de Cristo, chamada a dar uma contribuição específica e insubstituível na evangelização”.
Na verdade, “a família cristã foi sempre a primeira via de transmissão da fé” – insistiu Bento XVI, que se dirigiu em croata aos pais e mães pedindo-lhes que se empenhem em ensinar os filhos a rezar, e em rezar com eles.
“Na sociedade atual, é muito necessária e urgente a presença de famílias cristãs exemplares. Infelizmente temos de constatar, sobretudo na Europa, o aumento de uma secularização que leva a deixar Deus à margem da vida e a uma crescente desagregação da família.”
Por outro lado – observou ainda – “reduz-se o amor à mera emoção sentimental e à satisfação de impulsos instintivos, sem um esforço em construir laços duradouros de mútua pertença e sem abertura à vida”.
“É muito importante o testemunho e o compromisso das famílias cristãs para afirmar a intangibilidade da vida humana desde a concepção até ao seu fim natural, o valor único e insubstituível da família fundada no matrimônio e a necessidade de disposições legislativas que sustentem as famílias na sua tarefa de gerar e educar os filhos”.
Neste sentido, Bento XVI as animou à paternidade e à maternidade, afirmando que abrir-se à vida é um sinal de apertura e de confiança no futuro.
A missa foi celebrada em croata, latim e italiano. O Evangelho foi cantado em paleo-eslavo: esse antigo idioma foi a primeira língua eslava, difundida no século IX pelos missionários bizantinos Cirilo e Metódio. Algumas Igrejas ortodoxas e greco-católicas no leste da Europa ainda utilizam na liturgia.

Fonte:Oecumene