Inadimplência do consumidor avança 8,2% em maio, com destaque para setor bancário

 Elevação dos juros e medidas de restrição ao crédito resultaram em maior inadimplência com os bancos. Este foi o principal responsável pela alta de 8,2% na inadimplência do consumidor em maio, frente ao resultado de abril deste ano. Segundo dados do Indicador Serasa Experian da Inadimplência do Consumidor, publicados nesta terça-feira (14), a inadimplência com …

14/06/2011 17:13



 Elevação dos juros e medidas de restrição ao crédito resultaram em maior inadimplência com os bancos. Este foi o principal responsável pela alta de 8,2% na inadimplência do consumidor em maio, frente ao resultado de abril deste ano.

Segundo dados do Indicador Serasa Experian da Inadimplência do Consumidor, publicados nesta terça-feira (14), a inadimplência com os bancos contribuiu com 55% da variação mensal, de 4,5 pontos percentuais.

Na comparação com maio do ano passado, o indicador cresceu 21,7%. Esta é a décima terceira elevação anual seguida. Já no acumulado do ano, o índice apresentou alta de 20,6%.

Fatores
De acordo com os pesquisadores da Serasa, além da alta dos juros e das novas medidas de restrição ao crédito, os gastos com presentes no Dia das Mães ajudaram a agravar a situação do consumidor.

O estudo mostra que o brasileiro continua se endividando, principalmente na aquisição de bens duráveis, que têm maior valor agregado, longos prazos de parcelamento e formar mais caras de crédito.

Decomposição
Todas as modalidades da inadimplência contribuíram para a alta do indicador. A inadimplência não bancária, por exemplo, registrou alta de 5,1% em maio deste ano. Os cheques sem fundos e os títulos protestados colaboraram respectivamente com 1,3 p.p. e 0,3 p.p. na variação do indicador agregado.

Fonte:Finance