Silval Barbosa irá a Brasília para discutir nova lei do governo boliviano para a região de fronteira

Durante a reunião no Gabinete Intinerante de Pontes e Lacerda (448 km Oeste da Capital), nesta sexta-feira (17.06), com a cúpula da Segurança Pública do Estado, autoridades estaduais e municipais, o governador Silval Barbosa demostrou preocupação com a nova lei do Governo Boliviano que decidiu legalizar qualquer carro que esteja circulando no país sem documento. …

17/06/2011 19:13



Durante a reunião no Gabinete Intinerante de Pontes e Lacerda (448 km Oeste da Capital), nesta sexta-feira (17.06), com a cúpula da Segurança Pública do Estado, autoridades estaduais e municipais, o governador Silval Barbosa demostrou preocupação com a nova lei do Governo Boliviano que decidiu legalizar qualquer carro que esteja circulando no país sem documento. O pais é o principal destino de boa parte dos carros roubados do Brasil. O presidente Evo Morales assinou o decreto nos últimos dez dias.

O governador firmou o compromisso de ir pessoalmente falar com a presidenta Dilma Rousseff, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e com o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota. “Não podemos aceitar que o governo boliviano regularize e aceite os carros roubados do Brasil, se isso continuar vai fomentar os roubos na região das fronteiras. Silval disse também que irá a Brasília rever o Pacto Internacional que existe entre os países e tomar as providencias urgentes.

Para o secretário de Estado e Segurança Pública, Diogenes Curado Filho, esta decisão do governo boliviano é muito preocupante para o Estado e para todo o Brasil. “O fato do governo boliviano legalizar a entrada dos veículos, no Pais, que são objetos de crimes é muito preocupante, essa atitude acaba sendo uma receptação internacional”. “É de extrema importância o governador intervir junto ao Governo Federal para que seja revertida esta situação o mais rápido possível”, explica Curado.

 A ação do governo boliviano traz uma grande preocupação para a segurança pública, principalmente para o Grupo Especial de Fronteira (Gefron) que atua diretamenta na fronteira combatendo os crimes no Estado. O comandante do Gefron, tenente-coronel PM Antonio Mario Ibanez Filho, explica que essa atitude gera uma grande frustação na população em geral. ” O cidadão que tem o seu veículo furtado perde a esperança de recuperar o seu veículo, a partir do momento que entra no país vizinho fica difícil recuperar o veículo brasileiro com essa nova lei”, “A  preocupação também é que poderá aumentar o roubo e furto de veículos em especial nos municípios que fazem fronteiras com a Bolívia, como Cáceres, Porto Esperidião, Vila Bela da Santíssima Trindade e Comodoro.

Ainda no Gabinete Itinerante, o governador disse que irá reforçar a segurança na fronteira e irá investir em novos equipamentos e tecnologia para dar suporte para a polícia de fronteira.

GEFRON

O Grupo Especial de Segurança de Fronteira vem desempenhando, com excelência, ações de combate aos crimes transfonteiriços, realizando a prevenção e repressão ao tráfico de entorpecentes, contrabando e descaminho de bens e valores, roubo e furto de veículos, invasão de propriedades, atuando com barreiras móveis nos locais detectados como via de tráfego de “mulas humanas” (pessoas que transportam drogas), bem como nos locais denominados “cabriteiras” (vias por onde passam veículos roubados).

Para potencializar as ações, o Gefron trabalha com duas frentes de investigação: ostensiva e investigativa, que contam com suporte aéreo, por meio do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), nas operações inopinadas ou em situações de risco imediato na região de fronteira; e patrulhamento fluvial nos rios Jauru, Guaporé e Paraguai, outro cenário utilizado pelo crime organizado para práticas ilícitas, uma vez que 233 quilômetros da fronteira do Brasil com a Bolívia é de região alagada.

Atualmente, o Gefron conta com quatro postos fixos avançados conhecidos como Posto do Limão, Posto do Avião Caído, Posto de Vila Cardoso e Posto do Matão. Os postos Vila Cardoso, Avião Caído e Matão foram reformados, um investimento de R$ 132 mil. O grupo conta ainda com os postos em parceria com o Indea, sendo eles, Corixa, de Corixinha, de Las petas, da Ponta do Aterro, do Marfil e Posto de Fortuna. 

Fonte:Secom/MT