Pedro Henry apresenta equipe do Ipas que irá gerenciar a Ceadis

O secretário de Estado de Saúde, Pedro Henry, apresentou na manhã desta terça-feira (12.07), a equipe do Instituto Pernambucano de Assistência à Saúde (Ipas) que passa a gerenciar a Central Estadual de Abastecimento de Insumos de Saúde (Ceadis), já em agosto. A partir desta terça começa o processo de transição da gestão, que tem como novo diretor da Central, o farmacêutico …

12/07/2011 18:08



O secretário de Estado de Saúde, Pedro Henry, apresentou na manhã desta terça-feira (12.07), a equipe do Instituto Pernambucano de Assistência à Saúde (Ipas) que passa a gerenciar a Central Estadual de Abastecimento de Insumos de Saúde (Ceadis), já em agosto. A partir desta terça começa o processo de transição da gestão, que tem como novo diretor da Central, o farmacêutico e economista Silvio Machado.

A parceria com a Organização Social de Saúde – Ipas é para a operacionalização do gerenciamento da Ceadis que incluem entre as atribuições armazenamento e movimentação de materiais, medicamentos e insumos de saúde; fluxo dos processos administrativos; administração de estoques; estruturação e organização da central telefônica de atendimento; informatização da rede de assistência farmacêutica; estruturação e operacionalização dos Núcleos do Componente Especializado; estruturar unidades usuárias de saúde, quando necessário para o recebimento e armazenamento de materiais, medicamentos e outros insumos.

Ao apresentar a nova equipe de gestão, o secretário Pedro Henry esclareceu que a Política da Assistência Farmacêutica é papel institucional do Estado, bem como as aquisições de insumos e de medicamentos são da competência do Estado. Segundo Pedro Henry, o Estado tomou a decisão de estabelecer parceria com Organização Social de Saúde para um serviço de importante segmento, que enfrentava problemas inclusive com os usuários insatisfeitos pela dificuldade de acesso aos medicamentos. Das ordens judiciais que a Saúde do Estado recebe do poder judiciário, 70% são referentes a medicamentos.

“Para a área da Gestão de Medicamentos foram adotadas duas importantes medidas. A mudança na aquisição: adotamos nova ferramenta de compra, uma plataforma eletrônica pública (via web) que está permitindo à Secretaria comprar por meio de pregão eletrônico, os produtos específicos da Saúde, como medicamentos, materiais médicos, insumos. A plataforma por ser específica para área de saúde, nos permite ter um vasto cadastro de fornecedores de medicamentos e insumos de saúde existentes em todo o território nacional e, consequentemente, maior concorrência e melhor preço”, explicou Henry.

O Estado agilizou o registro de preço de todos os itens de medicamentos dispensados no ano de 2010 para o novo Sistema, totalizando cerca de 1.300 itens, divididos em blocos de 37 processos, respeitando as especificidades e categorias por blocos de doenças, com o intuito de facilitar as compras e evitar itens desertos, ou seja, quando não há interesse do fornecedor em comprar. A segunda medida adotada pelo governo, acrescentou o secretário de Saúde, foi a parceria com a OSS. “Com essas duas medidas acredito que o Estado passará a dar aos Usuários do SUS um atendimento digno e acessível”, disse ele.

“Pretendemos mudar também a logística da distribuição”, disse Pedro Henry, com a implantação dos 16 Escritórios Regionais de Saúde, estruturas para a distribuição neste primeiro momento, “o que vai facilitar aos usuários o recebimento dos medicamentos. Num segundo momento vamos estar estabelecendo parcerias com os 141 municípios e o cidadão vai poder receber o seu medicamento no município onde mora”.

Para o novo diretor da Ceadis, o Ipas, vai trabalhar com metas e ações voltadas à qualidade e satisfação dos usuários. “Pretendemos organizar nossas atividades com desempenho dos serviços para a eficácia das ações pelas quais temos que desenvolver, ao mesmo tempo em que vamos estabelecer relações humanizadas entre nossas equipes, equipes técnicas do Governo e os usuários. A informatização da gestão será o nosso grande desafio e é uma das frentes de trabalho que organizadas e sistematizadas vão produzir resultados satisfatórios ao SUS”.

fonte: Secom