Flamengo bate Cruzeiro e se mantém invicto no brasileirão

Cruzeiro e Flamengo fizeram nesta quarta-feira, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, um dos jogos mais aguardados da rodada. O torcedor cruzeirense que lotou as arquibancadas viu um duelo muito estudado e de muita marcação, mas acabou saindo frustrado pelo terceiro revés seguido da equipe no Campeonato Brasileiro. O time carioca venceu por 1 …

04/08/2011 09:12



Cruzeiro e Flamengo fizeram nesta quarta-feira, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, um dos jogos mais aguardados da rodada. O torcedor cruzeirense que lotou as arquibancadas viu um duelo muito estudado e de muita marcação, mas acabou saindo frustrado pelo terceiro revés seguido da equipe no Campeonato Brasileiro. O time carioca venceu por 1 a 0, chegou a 30 pontos, manteve a invencibilidade e segue na vice-liderança, colado no Corinthians.
O tento da vitória foi anotado por Deivid, que aproveitou um momento de genialidade de Ronaldinho Gaúcho, que conseguiu dar uma excelente assistência para o atacante flamenguista, que com muita calma aguardou a saída de Fábio e tocou por cima do goleiro para estufar as redes.
Sem poder contar com Thiago Ribeiro, que lesionado completou a quinta partida fora do time do Cruzeiro, o técnico Joel Santana resolveu apostar no avante Reis, que pouco produziu, dessa forma, o paraguaio Ortigoza foi sacado da equipe e só entrou no segundo tempo. No Flamengo, o armador Bottinelli foi a novidade e começou a partida entre os titulares.
Sem tempo para descanso, Cruzeiro e Flamengo voltam a campo no final de semana. No sábado, o time carioca tem compromisso contra o Coritiba, no Engenhão. Já a Raposa vai visitar o Internacional no domingo, no estádio Beira Rio.
O jogo – Mesmo atuando fora de casa, o Flamengo começou a partida tomando as rédeas do jogo, enquanto a Raposa adotou a estratégia de esperar o adversário, e sair nos contras-ataques. Com jogadores leves no meio-campo e no ataque, o time carioca procurou impor velocidade ao jogo, o que garantiu nos primeiros minutos, uma disputa bastante movimentada para os torcedores na Arena do Jacaré.
Aos dez minutos, Thiago Neves cobrou falta pela direita e Deivid conseguiu o desvio dentro da área, mas bem colocado, o goleiro Fábio conseguiu fazer a defesa. Como já é de praxe em grandes clássicos do futebol, cruzeirenses e flamenguistas se respeitaram bastante, fazendo com que durante parte da partida, os dois times trocassem passes curtos sem muita ofensividade. Com isso, o ritmo do jogo diminuiu.
Aos 17, o lateral Diego Renan conseguiu uma boa roubada de bola no meio-campo e arriscou um arremate da entrada da área, que passou a direita da meta de Felipe, mas foi o suficiente para levantar a torcida nas arquibancadas. Bem marcados, Montillo e Ronaldinho Gaúcho, estrelas de seus respectivos clubes, demonstraram muito vontade em campo, mas o futebol dos dois atletas foi discreto no primeiro tempo.
Em um jogo de muita marcação, as jogadas de bola parada sempre são uma boa alternativa, e o Flamengo tentou marcar dessa maneira. Aos 31, Renato Augusto soltou um petardo em cobrança de falta, que obrigou o arqueiro celeste a se esticar todo para espalmar a bola, que tinha endereço certo.
Aos 46, quanto conseguiu trocar passes em velocidade, o Flamengo chegou ao gol na Arena do Jacaré. Ronaldinho Gaúcho deu uma bela assistência para o atacante Deivid, que teve tranquilidade para aguardar a saída de Fábio e tocar por cima do goleiro, para abrir o placar e silenciar a parte cruzeirense do estádio.
O Cruzeiro voltou melhor para o segundo tempo, tentando o gol da igualdade e pressionado mais o Flamengo. Aos poucos os Rubro-Negros conseguiram equilibrar o jogo, e partida voltou a ficar cadenciada, fruto principalmente da forte marcação imposta pelas duas equipes, o que irritou os torcedores celestes, que começaram a esboçar algumas vaias.
Sem alternativa, o time mineiro teve que partir para cima do Flamengo, dando espaços para os contra-ataques e para Ronaldinho Gaúcho, que começou há aparecer um pouco mais no jogo. Precisando de gols, o técnico Joel Santana optou por colocar em campo dois atacantes, Ortigoza e Sebá, forçando os Rubro-Negros a recuarem ainda mais as linhas de marcação.
Mesmo lutando muito, o gol do empate cruzeirense acabou não saindo. As substituições feitas pelo comandante celeste não surtiram o efeito desejado, e as oportunidades que surgiram foram desperdiçadas pelos atacantes da Raposa, que não estavam com a pontaria calibrada. Quem quase ampliou foi o time carioca, com Fierro, que aos 40, entrou livre na área, mas a finalização bateu nas duas traves e não entrou por milagre.
fonte: Só Notícias