Ministério e Fifa não têm que “dar pitaco” no modal, diz Riva

Principal defensor do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), o presidente da Assembleia José Riva (PP) comemorou a indicação da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) em atestar a capacidade de endividamento do Estado para financiar a implantação do modal em Cuiabá e Várzea Grande, previsto para atender à demanda da Copa de 2014. No entanto, o …

12/08/2011 13:33



Principal defensor do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), o presidente da Assembleia José Riva (PP) comemorou a indicação da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) em atestar a capacidade de endividamento do Estado para financiar a implantação do modal em Cuiabá e Várzea Grande, previsto para atender à demanda da Copa de 2014.

No entanto, o governador Silval Barbosa (PMDB) ainda luta, em Brasília, para conseguir alterar o projeto de financiamento do Bus Rapid Transit (BRT). Só depois disso, poderá dar o aval sobre a implementação do VLT. Nesta quarta (10), ele percorreu os ministérios dos Esportes, Transporte, Planejamento, Orçamento e Gestão, além da Caixa Econômica Federal.

Nesta quinta (11), o governador tenta convencer o ministro das Cidades, Mário Silvio Negromonte (PMDB), antes de se encontrar com a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffman (PT), e voltar à pasta de Planejamento para tentar colocar um ponto final no assunto. “O Ministério das Cidades ou a Fifa não têm que dar pitaco na escolha do modal em Mato Grosso. O STN só resgatou a verdade de que o Estado pode financiar o VLT”, declarou Riva, por meio de sua assessoria. Ele atribui a lobistas ligados ao projeto do BRT as dificuldades para a definição do transporte.

Riva classificou de “hipocrisia” os entraves colocados na escolha do modal. “Onde fica o Pacto Federativo? O VLT é mais ágil, limpo e até mais barato”, destacou. O embate sobre a escolha do modelo começou no início deste ano, quando o deputado passou a defender o veículo, em detrimento do projeto que vinha sendo trabalhado pela Agecopa.

O diretor-presidente da agência, Eder Moraes, chegou a anunciar oficialmente a escolha pelo VLT, mas o governador teve que voltar atrás para poder conseguir aprovar os projetos de financiamento. Apesar da pressa para dar início às obras de mobilidade urbana, a discussão ainda deve se arrastar por mais alguns meses.

A Assembleia aprovou, na última semana, um requerimento proposto pelo próprio Riva para a realização de uma audiência pública, com data ainda indefinida, a fim de discutir com a sociedade as vantagens e desvantagens dos modais propostos. A expectativa é de que os debates ocorram em 22 ou 25 de agosto.

Fonte: AL/MT