Líbia planeja realizar eleições presidenciais em 20 meses

02/09/2011 09:22



A Líbia realizará eleições para uma Assembleia Constituinte dentro de oito meses e elegerá um presidente dentro de 20 meses, afirmou nesta sexta-feira um representante do Conselho Nacional de Transição (CNT), órgão político da rebelião.

“Estabelecemos um mapa do caminho preciso, com um período de transição de 20 meses”, declarou Guma Al Gamaty, em Londres. “Durante oito meses, o CNT dirigirá a Líbia antes que uma assembleia eleita pelo povo assuma o comando para redigir uma Constituição e, depois, ao final de um ano, serão realizadas eleições presidenciais”, acrescentou.

“Portanto, temos oito meses e um ano antes das eleições finais, parlamentares e presidenciais. Com um pouco de sorte, depois de 20 meses, o povo líbio terá eleito os dirigentes que quiser”, disse ainda.

Para Gamaty, o processo de transição já começou, apesar de prosseguirem os combates entre os rebeldes e as forças leais a Muammar Kadafi, que continua desaparecido.

“À medida que Trípoli está estabilizada e segura, o que é o caso agora, e que a maioria das cidades também está, os líbios podem começar o processo de transição”, afirmou Gamaty. “O coronel Kadafi se esconde, está isolado, e é apenas uma questão de tempo para que seja detido, a não ser que o matem caso resista”, concluiu.

Líbia: da guerra entre Kadafi e rebeldes à batalha por Trípoli
Motivados pelos protestos que derrubaram os longevos presidentes da Tunísia e do Egito, os líbios começaram a sair às ruas das principais cidades do país em fevereiro para contestar o coronel Muammar Kadafi, no comando desde a revolução de 1969. Rapidamente, no entanto, os protestos evoluíram para uma guerra civilque cindiu a Líbia em batalhas pelo controle de cidades estratégicas de leste a oeste.

A violência dos confrontos gerou reação do Conselho de Segurança da ONU, que, após uma série de medidas simbólicas, aprovou uma polêmica intervenção internacional, atualmente liderada pela Otan, em nome da proteção dos civis. No dia 20 de agosto, após quase sete meses de combates, bombardeios, avanços e recuos, os rebeldes iniciaram a tomada de Trípoli, colocando Kadafi, seu governo e sua era em xeque. Na dia 23 de agosto, os rebeldes invadiram e tomaram o complexo de Bab al-Aziziya, em que acreditava-se que Kadafi e seus filhos estariam se refugiando, mas não encontraram sinais de seu paradeiro. De acordo com o CNT, mais de 20 mil pessoas morreram desde o início da insurreição.

Fonte:Terra





Tags: