A nobreza da bandidagem

Simples seria explicar o que não tem explicação, pois se assim é, já está justificado. Mas simples também é entender por que não tem explicação, visto que o óbvio é esquecido. Digo isso, pelo descaso que sofremos das autoridades no que tange à criminalidade. Cada dia que passa está mais fácil ser bandido, pois as …

03/09/2011 11:24



Simples seria explicar o que não tem explicação, pois se assim é, já está justificado. Mas simples também é entender por que não tem explicação, visto que o óbvio é esquecido. Digo isso, pelo descaso que sofremos das autoridades no que tange à criminalidade. Cada dia que passa está mais fácil ser bandido, pois as leis tramitam em favor da absolvição dos que, do crime, buscam seu meio de sobrevivência. Seria por que nosso Legislativo também tem alguém comprometido com essa criminalidade? Quem vai saber!

A verdade é que, quem faz as leis está longe do que se chama vida cotidiana, pois são pessoas cercadas em seus castelos nobres e rodeados de seguranças, fica difícil entender o que se passa do lado de fora. Basta não votarem nenhum projeto que vá de encontro ao grande poder econômico, que suas vidas estão safas. Mas do lado de fora dos palácios, está o povo, 24 horas fugindo dos bandidos corriqueiros da rua e dos sentados em tronos luxuosos que, no lugar de um revólver, manipulam uma caneta devastadora.

Para onde devemos fugir? Ou será que devemos enfrentá-los? Sem armas e sem canetas fica difícil, pois com a lei do desarmamento eles ficam mais imunes. Quando será que a lei vai beneficiar os trouxas honestos?

Por:Jacques Moraes, empresário, jamemo@bol.com.br