Mulheres devem ocupar 50% das instâncias do PT

O IV Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores, realizado neste final de semana, em Brasília, rendeu uma série de mudanças no Estatuto do PT. Uma delas foi a aprovação da paridade de gênero nas instâncias da sigla. “Hoje já é exigido um percentual de 30% de mulheres, uma cota que alguns pequenos municípios cumprem com …

06/09/2011 09:29



O IV Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores, realizado neste final de semana, em Brasília, rendeu uma série de mudanças no Estatuto do PT. Uma delas foi a aprovação da paridade de gênero nas instâncias da sigla. “Hoje já é exigido um percentual de 30% de mulheres, uma cota que alguns pequenos municípios cumprem com dificuldade. No entanto, Mulheres devem ocupar 50% das instâncias do PT, o que é importante, pois apesar de ser maioria na população, o público feminino ocupa apenas 9% das cadeiras na Câmara Federal, por exemplo”, explica o deputado federal Jesus Rodrigues.

Os delegados presentes no Congresso Nacional também aprovaram uma cota de 20% de jovens em todas as instâncias do PT. Para Jesus Rodrigues, sem introduzir os jovens nos cargos de decisão, o PT certamente envelhecerá. A exigência de 50% de mulheres e 20% de jovens é indispensável para o registro dos diretórios e executivas, já que as instâncias superiores não aceitarão a composição de instâncias que não cumpram essa determinação.

Outra mudança que já vinha sendo defendida pelo deputado foi a definição de que todos os filiados devem participar de pelo menos uma reunião anual promovida pelo seu diretório municipal para terem direito a participar do PED – Processo de Eleição Direita. “Para votar e ser votado, o filiado deverá cumprir essa frequência mínima. Alguns filiados aparecem apenas nas prévias ou eleições internas. Com essa mudança, incentivamos uma maior participação. Conversando, informando, podemos torná-lo um militante”, ressalta Rodrigues.

Durante o encontro também foi aprovado que, a partir de 2014, o parlamentar só poderá exercer três vezes o mesmo cargo. “Isso não impede que um petista que tenha sido vereador por três vezes se candidate a outros cargos eletivos, por exemplo.Concordo que a medida ajudará a renovar as lideranças”, pontua Jesus Rodrigues.

O parlamentar destacou que o encontro foi um momento de reflexão e definição dos caminhos que a sigla deve seguir nos próximos anos, ao defender que o PT apresente candidatos próprios nas eleições municipais, sobretudo, em Teresina.

Fonte:180graus