Dilma participa de almoço de trabalho do G20

A presidente Dilma Rousseff participa neste momento de um almoço de trabalho do G20, em Cannes, na França, ao lado dos líderes das maiores economias mundiais. Antes, a presidente brasileira se apresentou oficialmente na cerimônia que abriu a 6ª Cúpula do G20, no Palais des Festivals. O primeiro compromisso de Dilma, na manhã desta quinta-feira, foi …

03/11/2011 12:06



A presidente Dilma Rousseff participa neste momento de um almoço de trabalho do G20, em Cannes, na França, ao lado dos líderes das maiores economias mundiais. Antes, a presidente brasileira se apresentou oficialmente na cerimônia que abriu a 6ª Cúpula do G20, no Palais des Festivals.

O primeiro compromisso de Dilma, na manhã desta quinta-feira, foi uma reunião com os presidentes Dimitri Medvedev (Rússia), Hu Jintau (China), Jacob Zuma (África do Sul) e o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh.

Em seguida, a presidente teve encontros com o primeiro-ministro de Cingapura, Lee Hsien Loong, e com a secretária-geral da Central Sindical Internacional, Sharan Burrow.

Ainda nesta quinta, Dilma participa de uma sessão de trabalho. Logo após, faz uma fotografia oficial. O último compromisso é um jantar de trabalho, segundo o Blog do Planalto.

A presidente Dilma Rousseff realizou na manhã desta quinta-feira uma reunião de uma hora com os outros países do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), antes departicipar da abertura oficial da cúpula de chefes de Estado e de Governo dos países do G20, em Cannes, na França.

Uma nota no blog oficial da presidente afirma que ela “compartilhou a posição do Brasil em defender uma solução para a crise financeira internacional com crescimento e manutenção de empregos”.

Mas o site não apresenta uma declaração de Dilma ou dos ministros após a realização das reuniões.

Dilma está na cidade desde terça-feira, quando começou uma agenda de encontros bilaterais de preparação à cúpula. Ontem, a principal reunião aconteceu com o presidente chinês, Hu Jintao, porém o governo brasileiro não relatou o conteúdo da conversa.

Nem Dilma nem os ministros que a acompanham – Guido Mantega, da Fazenda, e Antonio Patriota, das Relações Exteriores – se encontraram com a imprensa brasileira desde que as reuniões se iniciaram.

Já Jintao deu uma coletiva de imprensa para os jornalistas chineses, na qual afirmou que falou sobre o Dilma sobre o reforço das relações comerciais entre os dois países. O foco das atenções dos chineses, entretanto, está na colaboração que o país poderá dar ao Fundo Europeu de Estabilidade Financeira, criado pelos europeus para socorrer as economias em dificuldades na zona do euro.

A presidente brasileira ainda deveria se encontrar, nesta manhã, com o presidente da Indonésia, Susilo Bambang Yudhoyono, mas a conversa teve de ser reprogramada. Durante a tarde, ela vai participar dos grupos de trabalho previstos na programação do G20.

A abertura do cúpula, formada pelas 20 maiores economias do planeta, acontece às 12h30 (9h30 em Brasília), sob o comando do presidente francês, Nicolas Sarkozy, anfitrião do evento. O anúncio de que a Grécia vai fazer um referendo para consultar a população sobre o plano de ajuda europeia acabou atrapalhando a agenda oficial do evento. Entre ontem à noite e esta manhã, as lideranças europeias já se reuniram duas vezes, com a participação do Fundo Monetário Internacional, para debater as incertezas provocadas pela decisão do governo grego.

Ontem à noite, após a primeira reunião, da qual esteve presente o primeiro-ministro grego, George Papandreou, Sarkozy e a chanceler alemã, Angela Merkel, endureceram o tom contra a Grécia e fizeram um ultimato ao país: o referendo não deve ser sobre a aceitação do plano de ajuda, mas sim sobre a permanência ou não da Grécia na zona do euro. “A Europa é muito importante para se brincar com as regras dela”, afirmou o presidente francês, em coletiva de imprensa.

Fonte:JB