Blairo Maggi propõe debate sobre a pesquisa agrícola

Em discurso na manhã de sexta-feira (25), o parlamentar pediu que o Legislativo devote-se agora à luta para que o país aja estrategicamente e avance não apenas na produção de alimentos, mas também na pesquisa. – Depois do Código Florestal, vamos seguir outro caminho. Não adianta nada o Brasil ser o maior produtor de alimentos …

26/11/2011 09:16



Em discurso na manhã de sexta-feira (25), o parlamentar pediu que o Legislativo devote-se agora à luta para que o país aja estrategicamente e avance não apenas na produção de alimentos, mas também na pesquisa.
– Depois do Código Florestal, vamos seguir outro caminho. Não adianta nada o Brasil ser o maior produtor de alimentos do mundo, liderar apenas nessa área. Ele lidera na questão da produção, mas ele não lidera na questão da informação e na questão da pesquisa. Vamos construir algo que seja bom para a sociedade e que não nos divida – defendeu.
Blairo Maggi sugeriu o debate da questão da sustentabilidade, mas não mais sob a ótica ambiental. Alegando que a biotecnologia avança rapidamente no mundo, ele disse que o Brasil está cativo nas mãos das grandes multinacionais. Ao defender uma ação mais dinâmica nessa área, pediu mais investimentos para a recuperação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).
– O Brasil precisa fazer sua parte. Vamos ter que recuperar nossa querida Embrapa. Foi graças à Embrapa e à visão do governo passado que avançamos. Vamos ter que dar à Embrapa não alguns milhões de reais. Nós não estamos falando de milhões, mas de bilhões de reais, para que ela faça frente às grandes empresas multinacionais.
Blairo Maggi também propôs que as comissões de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), de Meio Ambiente (CMA) e de Ciência e Tecnologia (CCT) façam um debate profundo para convencer o governo e, principalmente, a sociedade, da necessidade de mais investimentos em pesquisa.
– O governo brasileiro privilegiou nos últimos anos ajudar a formar grandes blocos econômicos e comprar coisas fora do Brasil. Por que não podemos mudar? Temos empresas nacionais que trabalham na área de biotecnologia. Vamos capitalizar essas empresas. Vamos dar a elas a oportunidade.

Em discurso na manhã desta sexta-feira (25), o parlamentar pediu que o Legislativo devote-se agora à luta para que o país aja estrategicamente e avance não apenas na produção de alimentos, mas também na pesquisa. – Depois do Código Florestal, vamos seguir outro caminho. Não adianta nada o Brasil ser o maior produtor de alimentos do mundo, liderar apenas nessa área. Ele lidera na questão da produção, mas ele não lidera na questão da informação e na questão da pesquisa. Vamos construir algo que seja bom para a sociedade e que não nos divida – defendeu. Blairo Maggi sugeriu o debate da questão da sustentabilidade, mas não mais sob a ótica ambiental. Alegando que a biotecnologia avança rapidamente no mundo, ele disse que o Brasil está cativo nas mãos das grandes multinacionais. Ao defender uma ação mais dinâmica nessa área, pediu mais investimentos para a recuperação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). – O Brasil precisa fazer sua parte. Vamos ter que recuperar nossa querida Embrapa. Foi graças à Embrapa e à visão do governo passado que avançamos. Vamos ter que dar à Embrapa não alguns milhões de reais. Nós não estamos falando de milhões, mas de bilhões de reais, para que ela faça frente às grandes empresas multinacionais.  Blairo Maggi também propôs que as comissões de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), de Meio Ambiente (CMA) e de Ciência e Tecnologia (CCT) façam um debate profundo para convencer o governo e, principalmente, a sociedade, da necessidade de mais investimentos em pesquisa. – O governo brasileiro privilegiou nos últimos anos ajudar a formar grandes blocos econômicos e comprar coisas fora do Brasil. Por que não podemos mudar? Temos empresas nacionais que trabalham na área de biotecnologia. Vamos capitalizar essas empresas. Vamos dar a elas a oportunidade.