Power vence a terceira em São Paulo, com Castroneves em quarto

30/04/2012 10:40



A primeira edição do Grande Prêmio de São Paulo de Fórmula Indy disputado com pista seca teve o mesmo vencedor das corridas realizadas com chuva: o australiano Will Power. O piloto da Penske confirmou neste domingo um fim de semana perfeito no circuito de rua do Anhembi, em que foi o pole position e o competidor que passou mais voltas na liderança da corrida para conquistar a vitória e aumentar sua vantagem na liderança do campeonato. O norte-americano Ryan Hunter-Reay e o japonês Takuma Sato, que largou em 25º, completaram o pódio.

O australiano passou quase toda a prova na liderança e apenas na parte final rodou atrás de Scott Dixon, mas o neozelandês foi obrigado a parar nos boxes para reabastecimento a 11 voltas do fim e deixou a vitória nas mãos de Power. Nas duas edições anteriores da Indy em São Paulo, a prova foi prejudicada pela chuva e o representante da Penske soube utilizar a estratégia para vencer.

Hélio Castroneves fez uma grande prova de recuperação e terminou na quarta posição, após largar em 18º. Rubens Barrichello deu sorte ao escapar de um acidente e ficou com a décima colocação, três lugares à frente de seu companheiro Tony Kanaan. Já Ana Beatriz Figueiredo foi a 20ª.

A vitória deste domingo deixa Power ainda mais confortável na liderança do campeonato, com 180 pontos conquistados em quatro provas. O brasileiro Hélio Castroneves segue como segundo colocado da temporada, com 135 pontos. Os pilotos da Indy voltam aceleram novamente nas 500 Milhas de Indianápolis, evento mais importante do calendário e que está marcado para o dia 27 de maio.

A prova– Apesar da chuva durante o warm-up da corrida de São Paulo, a prova começou com pista seca neste domingo, e os pilotos puderam escolher entre os pneus duros e macios, de acordo com suas estratégias. Will Power conseguiu manter a liderança e ao contrário das expectativas dos próprios competidores, não houve incidentes no S do Samba. Os brasileiros da KV trocaram de posição, com Rubens Barrichello ultrapassando Tony Kanaan e assumindo a 11º colocação. Na quinta volta, o baiano deu o troco no amigo e reassumiu seu posto de largada. O veterano da Fórmula 1 ainda perdeu mais dois lugares na sequência e chegou à décima volta em 14º.

Com dificuldades para ganhar posições no início, o brasileiro Hélio Castroneves adiantou sua entrada nos boxes para realizar sua primeira troca de pneus e voltou à pista com compostos macios e pista livre.

A primeira bandeira amarela ocorreu na 21ª volta, após o australiano Ryan Briscoe bater no muro, e reaproximou todos os pilotos. A relargada foi dada na 26ª volta, mas um acidente no S do Samba fez com que o pace car entrasse novamente. Dario Franchitti, que ocupava a segunda posição rodou na entrada da curva, atravessou de ré a pista e acabou parando na área de escape, antes de retornar à prova na 22ª colocação. O incidente foi bom para os brasileiros que ganharam postos importantes: Castroneves passou para quarto, logo à frente de Barrichello e Kanaan.

Os primeiros colocados passaram sem incidentes pela segunda relargada, com Tony Kanaan pulando para a quarta colocação, mas um entrevero que envolveu ao menos cinco carros fez com que James Jakes e Josef Newgarden se chocassem e ficassem parados na Curva da Base Aérea, causando a terceira bandeira amarela da corrida. Castroneves foi obrigado a voltar aos boxes e retornou à pista em décimo, três lugares atrás de Bia.

A terceira relargada foi na 33ª volta, desta vez sem problemas. Tony Kanaan fez sua segunda parada no 41º giro da corrida e retornou à pista na 17ª colocação. Castroneves conseguiu boas ultrapassagens e retornou à sétima posição, com uma ultrapassagem segura sobre Bia. Rubens Barrichello assumiu a terceira colocação quando Scott Dixon foi aos boxes, mas logo na volta seguinte ele também parou para trocar pneus e colocou os compostos macios.

Hélio Castroneves pulou para a liderança da prova com os pit-stops de seus adversários e quando também parou para trocar pneus voltou atrás de Scott Dixon, Will Power e Ryan Hunter-Reay. Um erro no ponto de freada da Curva Tietê, no entanto, permitiu que ele fosse ultrapassado por EJ Viso e Dario Franchitti. O neozelandês da Ganassi foi obrigado a parar para reabastecimento e deixou o australiano da Penske novamente na liderança.

Na penúltima relargada da corrida, a nove voltas para o fim, Hélio Castroneves foi para a quinta posição e um acidente envolvendo ao menos seis carros fez com que a bandeira amarela fossse agitada em São Paulo mais uma vez. A quatro voltas para a bandeirada quadriculada, a última relargada, em que Power manteve a ponta e Castroneves pulou para quarto, posições em que cruzaram a linha de chegada.

Veja a classificação do Grande Prêmio de São Paulo da Fórmula Indy
1 – Will Power (AUS/Penske)
2 – Ryan Hunter-Reay (EUA/Andretti)
3 – Takuma Sato (JAP/Rahal-Letterman-Laningan)
4 – Hélio Castroneves (BRA/Penske)
5 – Dario Franchitti (ESC/Ganassi)
6 – James Hinchcliffe (CAN/Andretti)
7 – JR Hildebrand (EUA/Panther)
8 – Charlie Kimball (GBR/NN-Ganassi)
9 – EJ Viso (VEN/KV)
10 – Rubens Barrichello (BRA/KV)
11 – Oriol Servia (ESP/Dreyer Reinbold)
12 – Simon Pagenaud (FRA/Schmidt-Hamilton)
13 – Tony Kanaan (BRA/KV)
14 – Marco Andretti (EUA/Andretti)
15 – James Jakes (GBR/Dale Coyne)
16 – Graham Rahal (EUA/SC-Ganassi)
17 – Scott Dixon (NZL/Ganassi)
18 – Sebastien Bourdais (FRA/Dragon)
19 – Mike Conway (GBR/AJ Foyt)
20 – Ana Beatriz Figueiredo (BRA/Andretti)
21 – Ed Carpenter (EUA/Ed Carpenter)
Não completaram
Justin Wilson (GBR/Dale Coyne)
Josef Newgarden (EUA/Fisher-Hartman)
Simona de Silvestro (SUI/HVM)
Ryan Briscoe (AUS/Penske)
Katherine Legge (GBR/Dragon)

Fonte:Gazetaesportiva





Tags: