China volta a comprar soja e preço sobe em Chicago

19/05/2012 02:12



Na temporada 2011/12 os americanos têm embarcado grandes lotes para a China – antes dessa operação outras sete envolveram volumes significativos. O fato ajudou a impulsionar as cotações na Bolsa de Chicago. Acredita-se que, com elevado consumo na China, onde cresce a demanda por alimentos, os estoques do grão nos Estados Unidos possam ficar mais apertados. Analistas do banco de investimentos Barclays Capital destacaram em nota que a queda da produção no Brasil e na Argentina transferiu parte da demanda para o mercado americano, situação que deve se manter até a colheita da América do Sul do ano que vem, em março. Os contratos da soja para entrega em julho subiram 1,13%, para US$ 14,38 por bushel.

A valorização da soja influenciou o milho, que avançou 0,81%. O trigo também terminou o dia em alta, puxado por preocupações com o clima seco em áreas produtoras dos Estados Unidos, da Rússia e da Europa. Investidores estão atentos à possibilidade de elevação das temperaturas nos próximos dias, o que pode agravar a estiagem e reduzir a produtividade.

Na Bolsa de Nova York, o destaque foi o suco de laranja, cujo contrato julho cedeu 6,16% ontem e fechou no menor nível desde outubro de 2009. Com uma queda da demanda nos últimos meses e clima favorável para os pomares, participantes do mercado estão deixando de apostar na alta dos preços.

Fonte:Portaldoagronegócio





Tags: