Estudantes recebem premiação de concurso alusivo à adoção na AL

26/05/2012 09:46



Representantes da Associação Mato-grossense de Pesquisa e Apoio à Adoção (Ampara) e o Tribunal de Justiça, juntamente com o Ministério Público e a Sala da Mulher da Assembleia Legislativa, entregaram na manhã desta sexta-feira (25) as premiações do Concurso de Redação, que teve como tema a adoção.  Alunos do sexto ao nono ano da rede pública e privada de Mato Grosso participaram da disputa.

Representando a Sala da Mulher da Assembleia Legislativa, Janaína Riva, parabenizou a iniciativa por se tratar de um tema muito polêmico para se introduzir nas escolas. “Além de incentivar o jovem a ler e escrever, ações como essa promove uma discussão do tema dentro do ambiente escolar, mostrando a essas crianças e adolescentes a importância da adoção, da família, de ter um lar”.

A presidente da Ampara, Lindacir Rocha Bernadon, falou sobre alguns avanços que trouxe a lei da adoção e pontuou os desafios frente a essa causa. Entre as conquistas, ela cita que agora irmãos consanguíneos não são mais separados, e sim adotados pela mesma família. Além da determinação de não omitir a verdade da situação de adotado, como se isso fosse uma marginalização e o prazo para resolver a situação da criança institucionalizada. “Entre os desafios temos o de conseguir uma casa transitória para preparar e dar suporte aqueles que atingem a maioridade sem serem adotados, a fim de que seja inserido na sociedade e no mercado de trabalho, que foi discutido ontem em audiência pública nesta Casa de Leis e o de incentivar a adoção tardia, que é o tema da nossa campanha deste ano”.

Lindacir também fez uma avaliação sobre as redações que concorreram no concurso. Para ela, as reflexões feitas pelos alunos mostram que eles questionaram situações extremamente importantes para a adoção. “Lutamos por uma nova geração sem preconceito e os trabalhos que vocês mandaram mostra como vocês alunos estão ligados e atentos a este problema”, ponderou.

Já a promotora de Justiça da Infância e Juventude da Comarca de Cuiabá e membro da Comissão Estadual Judiciária de Adoção, Sasenazy Rocha Soares Daufenbach, destacou que a burocracia para a adoção, muito questionada, trata-se de uma medida necessária para o processo de conhecimento familiar e de adaptação ao novo lar. “É uma responsabilidade muito grande entregar uma criança ou adolescente para uma família e a adaptação leva um tempo. Essas crianças abrigadas já passaram por inúmeras ações de violações dos seus direito. E se adoção de pequenos é uma demonstração de amor, a adoção tardia é um desafio”, ao lembrar o tema da campanha da adoção deste ano.

“Vocês crianças e adolescentes, que são formadores de opinião, estão se preparando para serem inseridos na sociedade. E estamos na luta para que as políticas públicas sejam implantadas e que venham dias melhores. A Janaína Riva, peço que leve o agradecimento do Ministério Público para o deputado José Riva e Janete porque têm sido parceiros nessa causa”, finalizou a promotora.

CONCURSO – A estudante vencedora do sexto ano foi Steffanie Cauane Amorim, de Juara, contemplada com uma bicicleta. Já do sétimo ano foi a aluna
Natália de Borges, do Colégio Master Júnior, ganhadora de uma máquina fotográfica. Cursando o oitavo ano no Colégio Salesiano Santo Antônio, Júlia Carolina Paezi recebeu uma televisão como prêmio. E por fim, estudando o nono ano, Lorena Moraes do Colégio Cooperar ganhou um netbook.

Neste ano, inscreveram redações no concurso alunos das escolas Salesiano Santo Antônio; Escola Presbiteriana de Cuiabá; Cooperar; Escola Evangélica Elchaday, Centro Educacional Maria Auxiliadora, Iara Maria Minotto Gomes, de Juara; Escola Estadual Senador Azeredo; Colégio Master Júnior; Escola Esadual São Geraldo, de Porto Esperidião; Escola Estadual Nilza de Oliveira Pepino, de Sinop; e Escola Estadual Inácio Scherviski Filho, de Sorriso.

Fonte:Al/MT





Tags: