Editorial – Mulher na gestão, isso é transformação!

Governo abre precedentes à mudanças históricas e significativas no Indea-MT

21/01/2021 12:43



Governo agiu rápido e certeiro
Autarquia tem histórico masculino
Quebra de ‘protocolo’ estimula nova era
1ª Dama mostrou força e foi implacável

Assistimos recentemente mais um caso envolvendo uma pessoa ocupando um cargo de chefia e com isso, usando de tal posição, vindo agir de forma abusiva para com um subordinado, configurando assim o crime de ‘assédio’.

O órgão tem histórico no seu comando, exclusivamente da ala masculina. Não diria cargo machista, mas talvez, pelo que representa o setor (agro) e no mesmo, sem muito interesse por parte da ala feminina, sempre estiveram mais presentes e atuantes servidores homens.

Nos últimos anos, com a demanda crescente de setores do agronegócio e necessidade de mão de obra técnica qualificada, a inserção das mulheres com grande qualificação profissional foram conquistando mais espaços.

Uma servidora do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (INDEA MT), denunciou o presidente daquele órgão por assédio sexual e pediu exoneração imediatamente. Uma atitude de tamanha dignidade que, despertou o senso de defesa quase matriarcal da então 1ª Dama do Estado, Virgínia Mendes.

Virgínia se manifestou implacavelmente em suas redes sociais, criando um movimento solidário em prol da vítima do caso específico com intuito de tais crime não tomarem caminhos de reincidências ao menos na atual gestão.

Cobrou do governador Mauro Mendes, o qual também tomou as medidas céleres e certeiras, reforçando a dinâmica de Virgínia, sendo inevitável a exoneração do então servidor que ocupava o cargo de presidente daquele órgão.

Com absoluta habilidade e num gesto ao mesmo tempo que sensível, inovador, a Virgínia levantou o nome de quem poderia ocupar a vaga de chefia sendo agora ao comando de uma mulher. Ponto para as mulheres. Ponto para o Indea que, 85% dos seus servidores são homens, e estes, segundo pesquisas, tem maior simpatia em estarem no comando por mulheres.

A servidora Emanuele Gonçalina de Almeida (39 anos) foi nomeada como atual presidente do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (INDEA MT), é advogada, concursada e trabalha há sete anos no órgão de defesa, exercendo anteriormente o cargo de diretora administrativa.

A nova presidente tem como objetivo dar continuidade ao trabalho iniciado no Indea na gestão do governador Mauro Mendes, valorizar o servidor do Instituto e trabalhar de forma democrática com a área técnica.

Emanuele também pretende seguir coma implantação das ações administrativas, focando na desburocratização e descentralização do órgão, dando mais agilidade às demandas dos produtores rurais mato-grossenses.